Raríssimas: Secretário de Estado da Saúde demite-se

Jornal Público adianta na sua edição online que Manuel Delgado está de saída do Governo.

O secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, terá apresentado a demissão, depois do seu nome ter sido envolvido no escândalo referente à associação Raríssimas. Segundo o jornal Público, ainda não é claro se Delgado já formalizou o pedido de demissão, mas é certo que deverá abandonar o cargo. A sua substituta será Rosa Zorrinho, que era acualmente a presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo.

Entre 2013 e 2014, Manuel Delgado foi consultor da associação Raríssimas, cuja presidente, Paula Brito e Costa, foi acusada por uma reportagem da TVI de se apropriar de verbas provenientes de donativos e de utilizá-las para financiar “uma vida de luxo”. Pelo exercício dessas funções, Delgado terá recebido cerca de 63 mil euros.

Perante o escândalo público em torno das revelações da reportagem da TVI, a posição de Delgado no governo terá ficado insustentável.

 

Relacionadas

“Uma cabala muito bem feita”. Presidente da Raríssimas demite-se

Paula Brito e Costa deixou a liderança da associação de apoio a pessoas com doenças raras esta terça-feira, três dias depois de serem denunciadas práticas de gestão danosa.

Antigas governantes dizem que nunca fizeram parte do conselho consultivo da Raríssimas

O conselho consultivo da associação é constituído por Leonor Beleza, enquanto presidente, Maria de Belém Roseira, Fernando Ulrich, Isabel Mota, Pedro Pitta Barros, António Cunha Vaz e Roberto Carneiro, como vogais, entre outros nomes.

Respostas Rápidas: O que precisa saber sobre o caso Raríssimas

Uma reportagem da TVI sobre a gestão da associação Raríssimas está a provocar polémica e já levou à abertura de inquéritos pela Polícia Judiciária e pela Segurança Social. Conheça os factos por detrás da polémica.
Recomendadas

JMJ. Rui Rocha contra “obras faraónicas de utilidade duvidosa”

O novo presidente da IL, Rui Rocha, pede “bom senso” na gestão da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) e lembra que está em causa o dinheiro dos contribuintes, defendendo que “obras faraónicas de utilidade duvidosa” não fazem sentido.

Rui Rocha: Voto na IL é o único garante que PS sai do poder e que Chega não entra

O novo presidente da IL defende que o voto nos liberais é “o único” que “garante que o PS sai do poder e que o Chega não entra” e desafia o PSD a abrir o jogo sobre entendimentos pós-eleitorais.

BE vai centrar “boa parte” da sua atividade no problema transversal da habitação

“Tenho ouvido alguns argumentos sobre a constitucionalidade desta medida que partem de um pressuposto errado que é de que o BE discrimina em função da nacionalidade. Não. O que o BE faz é garantir que quem trabalha em Portugal possa ter acesso à habitação”, explicou.
Comentários