Respostas Rápidas. Macron está a agradar aos ‘coletes amarelos’ e a comprometer o défice?

A Bloomberg fala de um impacto que pode chegar aos 10 mil milhões de euros, o que implica mais 0,6 pontos percentuais de défice orçamental – o que, a verificar-se, levaria o país a furar o teto de 3% do défice, atirando para uns estratosféricos 3,4%, em vez dos programados 2,8%.

Que impacto pode ter as medidas divulgadas pelo presidente francês?

A Bloomberg fala de um impacto que pode chegar aos 10 mil milhões de euros, o que implica mais 0,6 pontos percentuais de défice orçamental – o que, a verificar-se, levaria o país a furar o teto de 3% do défice, atirando para uns estratosféricos 3,4%, em vez dos programados 2,8%. A subida do salário mínimo e uma redução nos impostos são os temas centrais da decisão desta semana de Emmanuel Macron. O presidente francês disse esta segunda-feira que “o salário de um trabalhador com salário mínimo aumentará em 100 euros por mês a partir de 2019, sem custar mais um euro ao empregador”. Mas, ao contrário de um aumento salarial, que seria pago pelos empregadores, este aumento será em parte suportado por um prémio de atividade a ser pago pelo Estado. Em 2017, esse prémio custou perto de cinco mil milhões de euros, que necessariamente terão de aumentar. Para mais, o prémio está fora do perímetro fiscal, pelo que o Estado nem sequer conseguiria a pequena compensação de arrecadas mais impostos do trabalho.

Que preocupações tem Bruxelas com as medidas anunciadas por Macron?

O Comissário Pierre Moscovici afirmou esta quarta-feira que Bruxelas “está em contacto permanente com as autoridades francesas” para acompanhar ao minuto os resultados orçamentais implicados nas medidas com que o presidente francês Emmanuel Macron pretende suavizar a onda de protestos que está a soterrar o país. Bruxelas está “em contacto permanente com as autoridades francesas, disse o comissário dos Assuntos Económicos à agência noticiosa francesa AFP, não tendo adiantado se esses contactos são no sentido de tentar impedir quaisquer decisões que envolvam o aumento do défice – que Paris já tem num patamar bastante elevado e com muito pouca margem em relação ao teto que levaria aos procedimentos por défice excessivo.

Como França está a tranquilizar Bruxelas?

Esta terça-feira, o presidente da Assembleia Nacional francesa, Richard Ferrand, afirmou, citado pela agência Lusa, que o país terá de “aumentar o défice público” para financiar essas medidas, defendendo todavia que o aumento do défice será “estritamente temporário”, uma vez que não haverá um efeito de acumulação das medidas económicas e fiscais já anunciadas.

Relacionadas

Bruxelas em alerta ‘amarelo’ por causa das medidas anunciadas por Macron

Contas, que não são as do governo francês, adiantam que o Estado gaulês pode ter de assumir um impacto de 10 mil milhões de euros face às medidas avançadas por Macron – o que deixaria para trás o teto de 3% do défice.

Uma revolução francesa

Os coletes amarelos representam uma revolta contra toda e qualquer autoridade política, e de resistência à mudança do estado de coisas, seja qual for o sentido dessa mudança.

Salário mínimo nacional aumenta e impostos descem. As respostas de Macron às reivindicações dos ‘coletes amarelos’

Presidente francês falou ao país após os tumultos do passado fim-de-semana. Decretou estado de urgência económica e social e anunciou aumento de 100 euros no salário mínimo nacional.
Recomendadas

Respostas Rápidas. Tudo o que precisa de saber sobre o Plano Geral de Drenagem de Lisboa

A autarquia chama-lhe “a obra invisível que prepara a cidade para o futuro”. Dois túneis vão atravessar Lisboa e escoar as águas até ao rio, mas não antes de 2025, confirma Carlos Moedas. Até lá, “paciência”, pede. A obra herculana já segue com atraso e custará até 250 milhões de euros. O Jornal Económico explica-lhe.

Respostas Rápidas: Que jogadores de Portugal mais podem valorizar neste Mundial?

Da baliza ao ataque, da Luz ao Dragão passando por Madrid, a prestação da Seleção portuguesa no Mundial pode dar muito a ganhar em 2023, sobretudo aos clubes que “emprestam” os seus melhores ativos para a prova de seleções de excelência a nível mundial. Saiba que jogadores poderão sair mais valorizados com a promessa das milhões para o fecho de contas do primeiro semestre da temporada.

Respostas Rápidas: Qual o universo de créditos à habitação abrangidos pelo diploma do Governo?

O Ministério das Finanças publicou um conjunto de perguntas e respostas que procura responder de forma simples a dúvidas sobre o diploma que mitiga os custos com o crédito à habitação. Nele traça um universo potencial de aplicabilidade da medida. Há cerca de 2,1 milhões de devedores com empréstimo à habitação, dos quais 90% têm contratos com taxa de juro variável. 
Comentários