Respostas Rápidas: O que precisa saber sobre a vacinação das crianças entre os cinco e os onze anos?

Esta sexta-feira foram revelados os pormenores relativos à vacinação nesta faixa etária. Conheça os detalhes em torno da vacinação nas crianças 

Depois de na semana passada ter sido conhecida a informação de que a variante Ómicron tinha apressado a decisão de vacinação nas crianças entre os cinco e os onze anos, esta sexta-feira foram revelados os pormenores relativos à vacinação nesta faixa etária. Conheça os detalhes em torno da vacinação nas crianças.

Quando se inicia a administração de vacinas?

Portugal vai iniciar o processo de vacinação das crianças entre os 5 e 11 anos no fim de semana de 18 e 19 de dezembro, segundo declarações do secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, esta sexta-feira durante conferência de imprensa.

“Nos dias 6,7,8 e 9 de janeiro serão vacinadas crianças entre os sete e nove anos. A 15 e 16 de janeiro as crianças entre os seis e sete anos, a 22 e 23 de janeiro, as crianças de cinco anos. Entre 5 de fevereiro e 13 de março serão administradas as segundas doses, altura em que teremos o esquema vacinal completo para estas faixas etárias”, explicou.

As crianças não vacinadas vão estar sujeitas a restrições?

Durante a mesma conferência de imprensa onde o secretário de Estado Adjunto e da Saúde revelou as datas para a vacinação, a diretora geral de Saúde, Graça Freitas disse que: “Neste momento não estão previstas sanções para crianças que não estejam vacinadas”.

Graça Freitas recordou ainda que: “Nunca impedimos uma criança não vacinada contra o sarampo de entrar onde quer que seja”.

Qual a posição técnica sobre a vacinação?

A Direção-Geral da Saúde (DGS) apontou, na quinta feira, a posição técnica sobre vacinação contra a covid-19 em crianças dos cinco aos 11 anos, referindo que “resulta de estudos internacionais” e da “avaliação de risco-benefício ”.

“Conclui-se que a avaliação de risco-benefício é favorável à vacinação universal de crianças nesta faixa etária, sendo prioritária nas crianças com comorbilidades consideradas de risco para a COVID-19 grave”, diz a DGS em comunicado a que a “Lusa” teve acesso.

Qual a vacina aprovada para o grupo dos cinco aos onze anos?

Segundo a aprovação da Agência Europeia do Medicamento (EMA), a 25 de novembro, a vacina da Pfizer/BionTech é a unica com autorização para administração pediátrica.

Quais os efeitos secundários nas crianças?

A EMA refere que os efeitos secundários da vacina da Pfizer nas crianças é semelhante ao das pessoas com 12 anos ou mais.

Quais as diferenças entre as vacinas para os adultos e a das crianças?

De acordo com a aprovação da EMA em ambos os casos, ou seja, tanto para adultos como para crianças vão ser precisas duas doses. No entanto as doses para as crianças são três vezes inferiores à dos adultos.

Relacionadas

Portugal inicia vacinação das crianças abaixo dos 12 anos a 18 e 19 de dezembro

As crianças de dez e 11 anos serão as primeiras a ser vacinadas a 18 e 19 de dezembro podendo também ser vacinadas algumas crianças de nove anos.

Graça Freitas: “Não estão previstas sanções para crianças que não estejam vacinadas”

Ainda durante conferência de imprensa, Graça Freitas sublinhou a “atividade epidémica crescente”. Segundo a diretora geral de Saúde nos últimos dias “451 uma crianças dos cinco aos nove anos adoeceram” com a Covid-19, perfazendo “6320 casos”.
Recomendadas

Covid-19: Human Rights Watch pede respeito pelos direitos de manifestantes na China

A Human Rights Watch defendeu hoje que o Governo chinês deve respeitar os direitos de todos aqueles que protestam pacificamente contra as restrições no combate à pandemia de covid-19.

Covid-19: Testes deixam de ser recomendados a pessoas sem sintomas e internados com visitas

Os testes à infeção com o coronavírus SARS-CoV-2 deixaram de ser recomendados a pessoas sem sintomas de infeção e doentes internados com covid-19 passam a poder receber visitas, avançou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Plataforma da A23 e A25 indignada com ausência da abolição de portagens no OE2023

Em comunicado, a plataforma salientou que “foi sem surpresa, mas com indignação”, que confirmou que “o Governo e o partido (PS) que o suporta na Assembleia da República aprovaram o Orçamento do Estado para 2023, sem nele incluírem a suspensão ou abolição das portagens nas Scut da Beira Interior (A23, A24 e A25)”.
Comentários