Rússia abandona reunião na ONU depois de ser acusada de usar alimentos como arma de guerra (com áudio)

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel considera que a Rússia está a empurrar as pessoas para a pobreza e está a destabilizar diversas regiões.

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, acusou a Rússia de usar alimentos como “um míssil furtivo contra países em desenvolvimento” e culpou o Kremlin pela iminente crise global de alimentos, o que levou o embaixador de Moscovo na ONU a abandonar a reunião do conselho de segurança.

Michel dirigiu-se ao embaixador russo Vassily Nebenzia diretamente, segundo o “The Guardian”, e disse que viu milhões de toneladas de grãos e trigo presos em contentores e navios no porto ucraniano de Odesa há algumas semanas “por causa de navios de guerra russos no Mar Negro”.

“Isto está a elevar os preços dos alimentos, a empurrar as pessoas para a pobreza e a desestabilizar regiões inteiras”, disse Michel. “A Rússia é a única responsável por esta iminente crise alimentar. Só a Rússia”, assegurou.

Michel acusou ainda as forças russas de roubar grãos de áreas na Ucrânia que ocupou “enquanto transfere a culpa de outros”. O presidente do conselho europeu classificou essa atitude como “propaganda, pura e simples”.

Posto os comentários Nebenzia saiu, cedendo o lugar da Rússia a outro diplomata. Mais tarde, o vice-embaixador da Rússia na ONU, Dmitry Polyansky, explicou que os comentários de Michel foram “tão rudes” que o embaixador russo deixou a câmara do conselho de segurança.

Michel não é o único a acreditar que a Rússia está a manipular a crise alimentar, sendo que o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, acredita existirem “relatos confiáveis” de que a Rússia está a “roubar” as exportações de grãos da Ucrânia para vender.

Os preços de grãos, óleos de cozinha, combustíveis e fertilizantes dispararam desde a invasão, que começou em 24 de fevereiro. A Rússia e a Ucrânia respondem por quase um terço da oferta global de trigo, enquanto a Rússia também é exportadora de fertilizantes e a Ucrânia é exportadora de milho e óleo de girassol.

Recomendadas

Bruxelas dará “resposta mais forte possível” em caso de sabotagem no Nord Stream

A presidente da Comissão Europeia assegurou que, caso as três fugas detetadas nos gasodutos submarinos Nord Stream no mar Báltico sejam uma “ação de sabotagem”, haverá “uma forte resposta”.

Ucrânia: Autoridades pró-russas anunciam vitória do ‘sim’ à anexação em Zaporijia

As autoridades pró-Moscovo anunciaram que a região ucraniana de Zaporijia, uma das quatro ocupadas pela Rússia, aprovou a anexação à Federação Russa no referendo que decorreu nos últimos quatro dias.

Dezenas de milhares de russos fogem para a Geórgia, Cazaquistão e Arménia

Por não exigirem visto para cidadãos russos, a Geórgia e a Arménia têm sido um destino importante para os russos em fuga desde o início da guerra iniciada em 24 de fevereiro.
Comentários