Rússia acusa Estados Unidos de terem um papel direto na guerra na Ucrânia

A acusação surge depois de o Kremlin afirmar que intercetou ligações entre as forças armadas ucranianas que indicavam que os EUA estavam a aprovar alvos para a artilharia norte-americana de longo alcance Himars usada pelas forças de Kyiv.

Reuters

Pela primeira vez desde o início da invasão à Ucrânia, a Rússia, através do porta-voz do Ministério da Defesa, acusou os EUA de terem um papel direto na guerra, alegando que estavam a aprovar alvos para a artilharia norte-americana Himars usada pelas forças de Kyiv.

Himars são um sistema de foguetes múltiplos que pode lançar mísseis guiados com precisão em alvos a até 70 quilómetros de distância, um valor muito superior à artilharia que a Ucrânia tinha anteriormente. Ademais, são considerados mais precisos do que os seus equivalentes russos.

O tenente-general Igor Konashenkov disse que obteve essa informação através de ligações intercetadas entre autoridades ucranianas.  A “BBC” não pôde verificá-lo de forma independente.

Os EUA ainda não comentaram o caso.

A Rússia acusou anteriormente Washington de travar uma “guerra por procuração” na Ucrânia.

“É o governo Biden que é diretamente responsável por todos os ataques com foguetes aprovados por Kyiv em áreas residenciais e instalações de infraestrutura civil em povoações de Donbass e outras regiões que causaram mortes em massa de civis”, disse Konashenkov.

Em abril, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Sergei Lavrov, disse que a decisão do presidente dos EUA, Joe Biden, de fornecer à Ucrânia milhares de milhões de dólares em armas significava que “a NATO, em essência, está envolvida numa guerra com a Rússia através de um procurador e está a armá-lo”.

Recomendadas

Ucrânia. Zelensky exclui negociações de paz com Rússia sem retirada prévia de tropas russas

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, excluiu esta quinta-feira qualquer negociação de paz com Moscovo sem a retirada prévia das tropas russas do território da Ucrânia.

Ucrânia diz que situação está a ficar crítica na maior central nuclear da Europa (com áudio)

Há dois dias, quando anunciou a viagem, o porta-voz da ONU, Stephane Dujarric, explicou que o encontro serviria para discutir a situação da central nuclear de Zaporizhzhia, além de encontrar uma solução política para o conflito com a Rússia.

Guterres reúne-se hoje com Zelensky e Erdogan na Ucrânia (com áudio)

O encontro vai servir para discutir a situação da central nuclear de Zaporizhzhia e para tentar encontrar uma solução política para o futuro da Ucrânia após a agressão russa.
Comentários