Rússia já disparou mais mísseis na Ucrânia do que em qualquer conflito desde a Segunda Guerra Mundial

Zelensky anunciou recentemente que as forças de Kiev destruíram o seu 200.º avião russo.

Maxim Shemetov/Reuters

A Federação Russa disparou mais mísseis na guerra da Ucrânia do que foi disparado por qualquer outro país em qualquer outro conflito desde a Segunda Guerra Mundial – um recorde, de acordo com dados obtidos exclusivamente pela Newsweek junto de analistas militares.

“Basta pensar neste número terrível: 2.154 mísseis russos atingiram as nossas cidades e comunidades em pouco mais de dois meses”, disse na semana passada o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky, acrescentando que “o bombardeamento russo da Ucrânia não cessa nem de dia nem de noite”.

Zelensky anunciou recentemente que as forças de Kiev destruíram o seu 200.º avião russo.

A força aérea russa é cerca de 15 vezes maior do que a da Ucrânia, pelo que tem sido apontado o fracasso da Rússia em tirar partido da sua esmagadora vantagem numérica, não conseguindo assegurar superioridade aérea nos céus sobre a Ucrânia.

No domingo, a Rússia anunciou que destruiu 165 aviões ucranianos desde o início da sua “operação militar especial”, um número quase três vezes superior ao número de aviões de caça voadores que a Ucrânia possui.

A Ucrânia revelou ainda ter abatido 110 mísseis de cruzeiro russos, quase 10% dos que chegam ao espaço aéreo ucraniano.

Recomendadas

Líder checheno prepara envio de quatro batalhões para a Ucrânia

Aliado checheno de Putin vai enviar soldados para a Ucrânia.

Revista de imprensa internacional: as notícias que estão a marcar a atualidade global

46 corpos de migrantes encontrados dentro de camião no Texas; Líderes mundiais condenam “abominável” ataque russo a centro comercial ucraniano; Número de mortos após ataque a centro comercial em Kremenchuk sobe para 18.

Ucrânia: Presidente da Indonésia a caminho de Kiev para encontro com Zelensky

Joko Widodo, que participou na cimeira do grupo dos sete países mais industrializados do mundo (G7), na segunda-feira, na Alemanha, já está a caminho de Kiev, disse a ministra dos Negócios Estrangeiro indonésio, Retno Marsudi, que acompanha o chefe de Estado, numa mensagem vídeo.
Comentários