Salman Rushdie está no “caminho da recuperação”

O escritor britânico Salman Rushdie está no “caminho da recuperação”, dois dias após ter sido apunhalado várias vezes nos Estados Unidos por um jovem norte-americano de origem libanesa.

Eloy Alonso/Reuters

O escritor britânico Salman Rushdie está no “caminho da recuperação”, dois dias após ter sido apunhalado várias vezes nos Estados Unidos por um jovem norte-americano de origem libanesa, anunciou hoje o seu agente, Andrew Wylie.

Num comunicado citado pelo jornal Washington Post, o agente disse que Rushdie já não está sob respiração assistida e que “o caminho da recuperação” começou.

“Os ferimentos são graves, mas o seu estado evolui numa boa direção”, acrescentou o agente do autor de “Os Versículos Satânicos”, atacado na sexta-feira no centro cultural de Chautauqua, no estado norte-americano de Nova Iorque, quando se preparava para dar uma palestra. Wylie acrescentou ainda que o processo de recuperação do escritor será longo.

Esfaqueado uma dezena de vezes no pescoço e no abdómen, Salman Rushdie, 75 anos, permanece hospitalizado em estado grave, mas no sábado à noite já foi capaz de dizer algumas palavras.

No sábado, Wylie disse que o escritor irá “provavelmente perder um olho”, além de os nervos de um dos seus braços terem sido cortados e de ter sofrido danos no fígado.

Ameaçado de morte desde uma ‘fatwa’ (decreto da lei islâmica) iraniana de 1989, um ano após a publicação de “Os Versículos Satânicos”, Salman Rushdie foi alvo de um ataque que chocou o Ocidente, mas que foi bem recebido por extremistas no Irão e no Paquistão.

O agressor, um jovem norte-americano de origem libanesa, foi hoje presente a um juiz do estado de Nova Iorque, perante o qual se declarou “inocente” de tentativa de homicídio do escritor.

Numa audiência processual no tribunal de Chautauqua, Hadi Matar, 24 anos, acusado de tentativa de homicídio e agressão, compareceu com roupa de prisioneiro, às riscas pretas e brancas, algemado e com uma máscara de proteção individual.

Segundo a acusação, o ataque foi premeditado. O suspeito, que vive em Nova Jersey, irá comparecer novamente em tribunal em 19 de agosto.

O ataque, visto por muitos como um ataque à liberdade de expressão, foi condenado por líderes mundiais como o Presidente norte-americano, Joe Biden, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, ou o chefe de Estado francês, Emmanuel Macron.

As vendas do controverso livro de Rushdie dispararam desde sexta-feira e o romance está hoje no 11.º lugar da lista de ‘best sellers’ da plataforma eletrónica de vendas Amazon.

Residente em Nova Iorque há 20 anos, Salman Rushdie tinha começado a retomar uma vida mais ou menos normal enquanto continuava a defender a sátira e a irreverência nos seus livros.

“Os Versículos Satânicos” são considerados pelos muçulmanos radicais como uma blasfémia contra o Alcorão e o Profeta Maomé.

Recomendadas

Guterres condena “veementemente” golpe de Estado no Burkina Faso

O secretário-geral da ONU, António Guterres, condenou este sábado “veementemente”, num comunicado, “qualquer tentativa de tomada do poder pela força das armas” no Burkina Faso, um dia após um novo golpe de Estado no país, o segundo em oito meses.

Manifestantes denunciaram repressão violenta sobre ativistas no Irão

Milhares de manifestantes em várias universidades iranianas e em vários países protestaram este sábado contra a repressão sobre movimentos de protesto pela morte de Mahsa Amini, a jovem acusada de violar o código de indumentária da República Islâmica.

Bolsonaro agradece apoio de líderes europeus de extrema-direita, entre eles André Ventura

O presidente Jair Bolsonaro, que pretende ser reeleito no domingo, agradeceu este sábado as mensagens de apoio que recebeu de líderes da extrema-direita da Europa, como o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orban, ou o líder do Chega, André Ventura.
Comentários