São Tomé e Príncipe. Cleanwatts assina contrato com Governo para energia limpa acessível

A Cleanwatts conta com a parceria local da Pleno Ambiente STP para a instalação, exploração e manutenção do parque de estações solares fotovoltaicas.

A portuguesa Cleanwatts assinou um contrato com Governo de São Tomé e Príncipe para a produção e venda de energia limpa a preço acessível.

Em comunicado, a Cleanwatts diz que assinou um contrato com o Governo de São Tomé e Príncipe, através da empresa pública EMAE.

“A instalação está quase concluída, devendo começar a produzir ainda em outubro, sendo que a energia produzida será injetada diretamente na rede elétrica das ilhas”, diz a empresa de Coimbra.

Este projeto vai revolucionar a realidade energética do país, “que se vê a braços com frequentes quebras de energia, algumas que se prolongam por dias e fazem desesperar a população”, indica.

“O projeto arrancou com centrais fotovoltaicas no Aeroporto e em Príncipe (Fase 1). Combinadas, a estimativa de produção é de mais de 1.700 MWh (megawatts por hora) por ano”, diz a Cleanwatts que acrescenta que este projeto trará várias vantagens ao país, como maior independência na produção de energia elétrica; o comprometimento com as energias limpas e com a redução da pegada ecológica de São Tomé e Príncipe; o combate à pobreza energética; e a criação de postos de trabalho (mão de obra local para a construção, exploração e manutenção das infraestruturas).

O ministro das Infraestruturas e Recursos Naturais de São Tomé e Príncipe, Osvaldo Abreu, frisou, nas suas redes sociais, que este projeto “foi um grande esforço conjunto”, aproveitando para “agradecer às instituições, empresas a individualidades portuguesas envolvidas”.

O responsável do Governo mostrou-se satisfeito, pois “os painéis e demais equipamentos já se encontram no Porto de Ana Chaves em São Tomé, após muito tempo de atrasos e incertezas devido a escassez de transporte marítimo. A Ilha do Príncipe terá a sua primeira pequena instalação fotovoltaica para testar o sistema híbrido”, conclui.

O presidente da Cleanwatts, José Basílio Simões, garante que “é uma grande satisfação para nós criar este projeto em São Tomé e Príncipe, por todos os motivos, mas também por se tratar de um país com grande dependência energética, onde os cidadãos ficam, amiúde, sem energia elétrica”.

“O que nos propomos a fazer, em São Tomé e Príncipe, é justamente reduzir a dependência energética, através da produção local de energia limpa e mais acessível, e contribuindo, assim, para reduzir a pegada ecológica do país e combater a pobreza energética – que são alguns dos objetivos principais do nosso trabalho”, frisa o gestor, acrescentando esperar “que seja possível, numa segunda fase, expandir este projeto, incluindo cada vez mais pessoas”.

A Cleanwatts conta com a parceria local da Pleno Ambiente STP para a instalação, exploração e manutenção do parque de estações solares fotovoltaicas.

Recomendadas

Novo mecanismo de ‘financiamento verde’ para África faz primeiro negócio de 100 milhões

O Fundo de Liquidez e Sustentabilidade (LSF), criado pela UNECA e pelo Afreximbank, fez o seu primeiro negócio de 100 milhões de dólares, potenciando as emissões de dívida pública ‘verde’ dos países africanos, incluindo Angola.

Cabo Verde quer reforçar combate à pobreza com aumento de 25% da taxa turística

Governo liderado por Ulisses Correia e Silva prevê arrecadar 8,6 milhões de euros com o aumento da taxa, que serão canalizados para o fundo de financiamento Programa Mais, Mobilização pela Aceleração da Inclusão Social, concebido para apoiar projetos de combate à pobreza extrema e exclusão social, segundo a Forbes África Lusófona.

Presidente de São Tomé e Príncipe pede inquérito sobre “tentativa de golpe de Estado”

As declarações do chefe de Estado foram feitas após a reunião do Conselho Superior de Defesa Nacional de São Tomé e Príncipe, que foi convocado com caráter de urgência para analisar os acontecimentos registados em 25 de novembro, quando quatro homens, civis, atacaram o quartel das Forças Armadas do país.
Comentários