Premium“Sem respostas, pode haver um crescendo de agitação social”

Ainda que confesse que esperava mais da proposta de Orçamento do Estado para este ano, o secretário-geral da FESAP mantém-se confiante no poder da negociação. Deixa, contudo, um aviso: se não houver respostas, poderá haver um crescendo de desconforto e agitação social.

A proposta de Orçamento do Estado apresentada pelo Governo traz muito pouco para os trabalhadores da Administração Pública. A crítica é deixada por José Abraão, secretário-geral da Federação dos Sindicatos da Administração Pública (FESAP), que, ainda assim, mantém a esperança de que será possível fazer alguma evolução, no processo negocial.

Caso não sejam dadas as necessárias respostas, antevê, porém, um crescendo de agitação social.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Bruxelas quer emitir 50 mil milhões de euros em obrigações para financiar NextGenerationEU

Bruxelas anunciou o programa de financiamento para entre julho e dezembro.

Bruxelas favorável a reprogramação de investimentos face aos preços

A Comissão Europeia respondeu hoje favoravelmente à solicitação de Portugal e outros Estados-membros para que os programas de investimentos dos Planos de Recuperação e Resiliência (PRR) possam ser reprogramados, face aos preços “anormalmente elevados”, revelou o primeiro-ministro.

DECO questiona porque Espanha reduz IVA para 5% e Portugal não

“O pagamento da fatura de eletricidade e gás tem um peso considerável no orçamento das famílias portuguesas, pelo que consideramos que a redução do IVA é uma medida adequada, necessária e urgente”, escreve a DECO.
Comentários