Seul: presidenciais norte-americanas podem motivar novo míssil de Pyongyang

Exército sul-coreano acredita que eleições dos Estados Unidos podem motivar nova provocação da Coreia do Norte.

Seul está em estado de alerta perante a possibilidade da vizinha Coreia do Norte lançar um míssil balístico de médio alcance esta terça-feira durante as eleições presidenciais norte-americanas, para mostrar ao novo inquilino da Casa Branca as suas intenções de continuar a desenvolver projéteis balísticos e armas atómicas.

Depois de os Estados Unidos terem emitido um alerta para eventuais atentados terroristas durante as presidenciais, a Coreia do Sul admite agora a possibilidade de do outro lado do Pacífico se poderem fazer sentir também complicações por parte do regime de Kim Jong-Un.

Em declarações à agência de notícias EFE, um porta-voz do Ministério da Defesa sul-coreano conta que “o exército sul-coreano aumentou a sua vigilância sobre a Coreia do Norte perante a possibilidade de uma nova provocação motivada pelas eleições dos Estados Unidos”.

O exército sul-coreano confirma que Seul supervisiona de perto a Coreia do Norte nestes últimos dias, apoiado pelas forças norte-americanas estacionadas na Península da Coreia.

Recorde-se que este ano, o regime de Kim Jong-Un realizou vários testes de mísseis de médio alcance, apesar da condenação internacional e das sanções impostas pela ONU. Cinco desses testes foram levados a cabo só durante o mês de agosto. Embora apenas com um sucesso parcial, em junho, um míssil Musudan efetuou uma trajetória de 400 quilómetros, antes de cair no mar do Japão (mar de Leste).

Recomendadas

Itália: Velha guarda da Liga Norte pede cabeça de Salvini após revés

A velha guarda da Liga Norte, transformada em Liga com Matteo Salvini como líder, criticou-o duramente após o revés nas legislativas de domingo.

Agência de Energia e Irão retomam contacto em Viena

O diretor da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA), Rafael Grossi, reuniu-se com o chefe do programa nuclear iraniano, Mohammad Eslami, para retomar os contactos e esclarecimentos.

São Tomé: CPLP diz que comissão eleitoral é soberana na divulgação de resultados

O chefe da missão de observação eleitoral da CPLP, o embaixador Rafael Vidal, disse que a lei são-tomense não obriga à divulgação dos resultados provisórios antes da contagem nos distritos.
Comentários