SINTAC reúne com DGERT e ANA/VINCI para discutir serviços mínimos a assegurar agosto

Em causa estão ainda outras medidas defendidas pelo sindicato, desde o aumento de salários, para fazer face à inflação, até ao reforço dos recursos humanos.

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil (SINTAC) vai reunir-se com a DGERT (Direção Geral do Emprego e das Relações de Trabalho) e com a ANA/VINCI (dona da ANA Aeroportos) para discutir os moldes de realização de serviços mínimos, assim como os meios necessários para os assegurar, a partir das zero horas de dia 19 e até dia 21 de agosto, às 24 horas.

De acordo com uma nota enviada enviada pelo SINTAC à comunicação social, a reunião vai ter lugar nas instalações da DGERT, na manhã desta terça-feira.

Os sindicato também quer levar a debate com a entidade empregadora várias medidas que defende e que espera ver aplicadas. Entre elas, estão a reposição de todas as contribuições para o Fundo de Pensões dos seus trabalhadores, assim como uma mudança de paradigma naquilo a que chama “tentar destruir os direitos obtidos ao longo de décadas pelos trabalhadores da ANA”.

Existe ainda a intenção de ver aumentos nos salários dos trabalhadores, de forma a fazer face à inflação, e sugere-se a contratação de recursos humanos, já que faltam “em vários Aeroportos OPAS, Supervisores de Socorros e Técnicos de manutenção”, refere-se na mesma nota.

Recomendadas

Explorer atribui bolsas de mérito a estudantes da Nova SBE. Vai doar 10% do lucro a programas de educação

A parceria surge no âmbito da política de investimento responsável da Explorer Investments, que vai doar anualmente 10 % do seu lucro para apoiar programas de educação e que tem por base o mérito e a excelência.

Receita da App Store caiu em setembro quando as compras com jogos esfriaram, diz Morgan Stanley

O Morgan Stanley revelou que o principal culpado pela queda foi a receita de jogos, que recuou 14% em setembro.

Estoril-Sol pode perder a concessão jogo no Casino Estoril

Há duas propostas para a concessão da exploração da zona de jogo do Casino Estoril, a do actual concessionário (Estoril-Sol) e a de um outro grupo estrangeiro que oferece um valor superior ao do grupo liderado por Mário Assis Ferreira.
Comentários