Startup portuguesa Kencko levanta 10 milhões (com áudio)

A Kencko levantou 10 milhões de dólares (8,85 milhões de euros) junto de investidores institucionais como a Indico Capital Partners. A série A de investimento foi liderada pela sociedade de capital de risco Siddhi Capital. 

A startup portuguesa Kencko, criada por Tomás Froes e Ricardo Vice Santos, fechou a sua série A de investimento.

A Kencko levantou 10 milhões de dólares (8,85 milhões de euros) junto de investidores institucionais como a Indico Capital Partners. A série A de investimento foi liderada pela sociedade de capital de risco Siddhi Capital.

“O investidor existente Siddhi Capital liderou a rodada e foi acompanhado por investidores atuais e novos, incluindo a Indico Capital Partners, a Next View Ventures, a Riverside Ventures, a Silas Capital, a Cheyenne Ventures, a Shilling Capital, a Mission Point, a Gather Ventures e a Nextblue Ventures. O investimento mais recente eleva o financiamento total da Kencko para mais de 13,5 milhões de dólares (12 milhões de euros)”, segundo o comunicado.

No mesmo comunicado é dito que este capital injetado pelos investidores institucionais vai servir para permitir que a empresa se expanda além de smoothies e chicletes e em novas categorias de produtos, como tigelas quentes.

Esta quarta-feira, o portal TechCrunch refere que a empresa criada por Tomás Froes e Ricardo Vice Santos está focada no mercado norte-americano, com a comercialização, através de pacotes de subscrição, de gomas e de saquetas em pó que podem ser dissolvidas em água, leite ou água de coco.

Tomás Froes disse ao portal que “a marca também está a caminho de ser completamente neutra em carbono em 2022”.

“Acompanhamos a Kencko desde os primeiros dias no TechStars em Londres e estamos contentes por apoiar a visão de Tomás e Ricardo. Há uma procura incrível pelos seus produtos convenientes de alta qualidade num mundo cada vez mais preocupado com a saúde. Mais um exemplo de que os empreendedores portugueses com visão global têm operações significativas tanto em Portugal como nos EUA, precisamente o tipo de equipas que adoramos apoiar do local ao global”, explica em comunicado Stephan Morais, Managing General Partner da Indico Capital.

A Indico Capital Partners é uma gestora independente de fundos de capital de risco em Portugal, que investe em empresas de tecnologia global e sustentável.  O leque de investimentos da Indico vai, maioritariamente, do Pré-Seed à Série A (100 mil e 5 milhões euros) em startups portuguesas e espanholas. O Indico é muitas vezes o primeiro investidor numa startup e, dado o histórico das equipes, trabalha muito próximo das empresas do seu portfólio. Desde 2019, a Indico investiu 33 milhões de euros em 28 empresas, que levantaram mais de 1,18 mil milhões de euros de investidores globais.

Recomendadas

Bancos sujeitos a coimas até 1,5 milhões se não aplicarem diploma do Governo para crédito à habitação

Está já em vigor, a partir deste sábado, o diploma que estabelece medidas destinadas a mitigar os efeitos do incremento dos indexantes de referência de contratos de crédito para aquisição ou construção de habitação própria permanente. Bancos têm 45 dias a partir de hoje para aplicar as medidas.

Ministra da Justiça diz que é preciso melhorar condições dos processos de recuperação de empresas

“A melhoria das condições de processos de recuperação [de empresas], sobretudo em períodos de insolvência e de dúvida, como o que atravessamos, é um desafio, mas um desafio que temos de concretizar”, afirmou Catarina Sarmento e Castro.

Restaurantes da AHRESP vão assegurar alimentação dos peregrinos da Jornada Mundial da Juventude

A AHRESP vai apoiar a Fundação na “definição das regras de funcionamento da rede de restaurantes e similares que irão assegurar o fornecimento de refeições para os participantes da Jornada Mundial da Juventude e contactar restaurantes e similares para promover a sua adesão à rede, bem como promover o uso do Guia de Boas Práticas da Restauração e Bebidas junto da rede”, lê-se no comunicado.  
Comentários