Startup portuguesa Springkode lança-se nas roupas para homem

A plataforma ligada à indústria têxtil disponibilizou novas coleções online. O próximo passo são os acessórios.

A empresa de e-commerce portuguesa Springkode começou este verão a comercializar roupa masculina e prepara-se para disponibilizar acessórios para compra online. O ‘saco de compras’ conta com t-shirts, camisas, casacos, sweaters, calções, gravatas, lenços e laços para homem, produzidos nas fábricas parceiras António Manuel de Sousa, Marfel e Cotton Paradise.

startup ligada à indústria têxtil, de design e produção nacional, nasceu com financiamento próprio em abril de 2018 e tem como expectativas de investimento de cerca de 1,1 milhões de euros até ao breakeven. “As fábricas portuguesas têm imensa qualidade, estão próximas e acessíveis, mas as pessoas não se relacionam com elas. Queremos mudar esse comportamento e mostrar que é possível comprar moda de qualidade, exclusiva, sustentável e a preços acessíveis”, afirma Reinaldo Moreira, general manager da Springkode.

A loja online refere que tem como missão fazer a ponte entre fábricas têxteis portuguesas, que produzem peças para algumas das maiores marcas de luxo internacionais, e o cliente final. Entre o portefólio estão ainda confeções da Lagofra e da TIVA, que são feitas com os tecidos e malhas de luxo excedentes das grandes marcas de moda mundiais.

“Preocupamo-nos em oferecer criações exclusivas que não vai encontrar noutro lugar. Nós só fazemos até 50 peças de cada uma, para que nunca encontre alguém com a mesma roupa novamente. Das mesmas equipas de design e produção que atendem aos compradores profissionais das mais luxuosas e exigentes produtoras de moda”, defende a empresa nacional.

 

Recomendadas

PremiumRede 5G, um ano e quatro mil antenas depois

Portugal arrancou com a tecnologia de quinta geração a 26 de novembro. NOS, a primeira a lançar, revela que conta com 3.200 estações instaladas.

PremiumOaktree, Cerberus e Vanguard na corrida à VIC Properties

A Alantra vai receber esta sexta-feira as propostas não vinculativas para a compra dos ativos da VIC Properties. A Vanguard deverá avançar para o Pinheirinho. Oaktree e Cerberus entre os interessados.

Marcas vs Catar: o difícil equilibrismo das maiores marcas do mundo. Veja o “Jogo Económico”

Do equilibrismo de quem patrocina a prova à anti-campanha de quem está de fora, estes dias estão entregues a uma espécie de Mundial de marcas com desfecho imprevisível. Daniel Sá, especialista em marketing desportivo e diretor-executivo do IPAM e Henrique Tomé, analista da corretora XTB, são os convidados desta edição.
Comentários