TAP terá de ser “incansável” em 2019

O presidente executivo da TAP, Antonoaldo Neves, disse hoje que, em 2019, a transportadora terá de ser “incansável na busca de uma experiência melhor” para os clientes, falando durante um encontro de Natal com trabalhadores.

António Pedro Santos/Lusa

Face à abertura de novas rotas e à chegada de seis novos Airbus este ano e “alcançando 37 novas aeronaves até ao final do próximo ano e 71 até 2025”, Antonoaldo Neves salientou que, em 2019, a empresa tem de ser “incansável na busca de melhoria da qualidade de vida” dos seus trabalhadores, assim como “na busca de uma experiência melhor” para os clientes.

“A responsabilidade é enorme: nós não temos só mais de 11 mil famílias, de certa forma carregamos Portugal nas asas, poucas companhias têm o privilégio de dizer isso, 2% do PIB [produto interno bruto] de Portugal passa pela TAP, quatro milhões de turistas vêm a Portugal pela TAP, dos 16 [milhões] que transportamos”, referiu.

Antonoaldo Neves reforçou ainda a importância da ligação entre a Europa, África e o Atlântico, e disse que 57% dos clientes da TAP “não ficam em Portugal, e isso é maravilhoso, porque sem esses não existiam os outros 43%”.

A pontualidade em 2018 foi “vergonhosa e eu não tenho vergonha de dizer isso, é preciso olhar no espelho para saber onde a gente precisa melhorar”, admitiu o presidente executivo da transportadora que classificou este tema como “importantíssimo”.

“2018 foi um ano de grandes conquistas, novas aeronaves, fizemos acordos sindicais que nunca foi possível serem feitos antes, conquistámos cinco anos de paz laboral, retribuímos aos nossos trabalhadores”, salientou ainda.

Recomendadas

Comparadora de seguros HelloSafe recebe mais quatro milhões para expandir em Portugal

“Este financiamento irá apoiar a nossa ambição de nos tornarmos a plataforma internacional número um em Portugal para comparar produtos financeiros e de seguros”, diz Oleksiy Lysogub, cofundador da empresa canadiana. ‘Insurtech’ vai contratar 40 pessoas.

Costa Silva: Próximos anos não vão ser “cor-de-rosa” para a economia portuguesa

António Costa Silva, ministro da Economia, afirma que “não é com receitas do passado que vamos resolver os problemas”, defendendo que “para resolver os problemas de curto prazo, precisamos de uma visão de longo prazo”.

Tribunal de Contas não afasta cenário de novas injeções de capital no Novobanco

O juiz conselheiro relator do relatório da auditoria do Tribunal de Contas à gestão do Novobanco, José Quelhas, referiu hoje que não está afastado o cenário de novas injeções de dinheiro público no ex-BES.
Comentários