Taxas Euribor descem a 3, 9 e 12 meses e mantêm-se a 6

As taxas Euribor desceram hoje a três, nove e 12 meses, mantendo-se estáveis a seis meses em relação a quinta-feira.

A Euribor a três meses, em valores negativos desde 21 de abril de 2015, desceu hoje para -0,326%, menos 0,001 pontos do que na quinta-feira e contra o atual mínimo de sempre, de -0,332%, registado pela primeira vez em 10 de abril.  A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação e que entrou em terreno negativo pela primeira vez em 06 de novembro de 2015, manteve-se hoje pela quarta sessão consecutiva, ao ser fixada em -0,271%, contra -0,276%, atual mínimo de sempre, registado pela primeira vez em 30 de outubro.

A nove meses, a Euribor desceu para -0,219%, menos 0,001 pontos do que na quinta-feira e contra o atual mínimo de sempre, de -0,224%, registado pela primeira vez em 27 de outubro. No prazo de 12 meses, a taxa Euribor, que desceu para valores abaixo de zero pela primeira vez em 05 de fevereiro de 2015, também decresceu hoje ao ser fixada em -0,191%, menos 0,001 pontos do que na sessão anterior e contra o atual mínimo de sempre, de -0,192%, registado pela primeira vez em 15 de novembro.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.

Recomendadas

Custo de cabaz alimentar de bens básicos aumentou 21% para adultos num ano, diz BdP

O banco central revela que entre outubro de 2021 e outubro de 2022, o custo mensal médio e mediano de um cabaz básico de consumo alimentar para um adulto com cerca de 40 anos aumentou 21% e 24%, respetivamente.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta sexta-feira.

PremiumMenores retenções de IRS não chegam a todos em janeiro

Novas tabelas de IRS não dão aumento do rendimento disponível a todos os contribuintes a partir de janeiro. Solteiros e casados com dois filhos são os mais penalizados. Com novas regras, ganhos serão superiores a partir de julho.
Comentários