Tesla perde 126 mil milhões depois de Musk dar empresa como garantia na compra do Twitter

Mas não é só o foco que levou a que milhares de investidores retirassem o seu dinheiro da Tesla. Muitos não gostaram do plano de financiamento proposto pelo próprio Musk para a compra do Twitter, em que metade do dinheiro será proveniente da Tesla.

3. Elon Musk

Bastou uma única sessão em Wall Street para a Tesla desfazer todos os ganhos dos últimos tempos. A empresa criada por Elon Musk já perdeu 126 mil milhões de dólares (118,85 mil milhões de euros) na bolsa de Nova Iorque depois do multimilionário ter garantido a compra do Twitter.

Só ao dia de ontem, a empresa perdeu 12,18% na bolsa, o que equivale a 21 mil milhões de dólares, dinheiro esse que serve para a aquisição de metade da rede social.

Esta quebra mostra que os investidores e detentores de ações da fabricante automóvel elétrica não estão satisfeitos com a nova aposta do homem mais rico do mundo, fazendo cair por terra todas as perspetivas de que Musk iria somar ainda mais fortuna com a compra do Twitter.

A quebra de 12,2% das ações da Tesla para 876,42 dólares (825,75 euros) é a maior queda diária registada desde o passado dia 27 de janeiro, dia em que a empresa recuou 12% depois de apresentar os resultados do quarto trimestre do ano passado, que ficaram aquém das expectativas dos analistas.

No entanto, a queda é ainda maior quando analisada pela perspetiva geral. Desde que Musk anunciou a compra de 9,2% do capital da rede social, as ações da marca de carros mais valiosa do mundo caíram mais de 22%, passando de 1.145 dólares (1.078 euros) para 887 dólares (826,3 euros), o que significa a perda total dos 126 mil milhões de dólares.

Um analista consultado pela “Reuters” apontou que a desvalorização dos títulos da empresa se devem às preocupações com a falta de foco de Musk. Na ideia dos investidores, a compra do Twitter vai levar a que o multimilionário se foque no novo negócio e deixe a Tesla para segundo plano.

Mas não é só o foco que levou a que milhares de investidores retirassem o seu dinheiro da Tesla. Muitos não gostaram do plano de financiamento proposto pelo próprio Musk para a compra do Twitter, em que metade do dinheiro será proveniente da Tesla.

Assim, do total dos 44 mil milhões de dólares (41,2 mil milhões de euros), apenas 22 mil milhões seriam de Musk, com o magnata a ter de ir buscar o restante financiamento às suas ações da empresa. Com as suas ações avaliadas em 180 mil milhões de dólares, Musk teria de se desfazer de alguns títulos para conseguir o financiamento prometido.

Confirmando-se que o dinheiro provém da fabricante automóvel, esta será a segunda venda em poucos meses, depois de ter despachado 10% dos seus títulos no primeiro trimestre, o equivalente a 17,5 milhões de euros, dinheiro esse que serviu para o pagamento de impostos.

Outro analista ouvido pela publicação acredita que “se o preço das ações da Tesla continuarem em queda livre, isso vai prejudicar as suas finanças”. Assim, depois de várias críticas à compra, Musk poderia afundar duas empresas de uma única vez.

Sabe-se que a outra metade do financiamento chegará na forma de empréstimos da banca e de um consórcio de sete bancos dos EUA, entre os quais Morgan Stanley, Barclays, BoA, BNP Paribas, MUFG, Mizuho e Societé Générale.

Sobre o Twitter, o plano de Musk é retirar a empresa da bolsa nova-iorquina, assegurando a liberdade de expressão que tem pregado. O objetivo final de Musk é reduzir o controlo do conteúdo publicado na rede social, um trabalho que tem sido desenvolvido nos últimos anos para mitigar a desinformação e discurso de ódio, que levou

Relacionadas

Respostas Rápidas: Twitter comprado por 44 mil milhões de dólares. O que está em causa?

A operação foi aprovada, por unanimidade, pelo conselho de administração, mas está sujeita à ‘luz verde’ quer dos reguladores quer dos restantes acionistas da empresa de São Francisco. É o caso dos fundos detidos pelo grupo Vanguard, que têm mais de 10% da rede social.

Bruxelas adverte Elon Musk para obrigatoriedade do cumprimento das regras europeias pelo Twitter

Bruxelas aprovou recentemente um novo texto legislativo que obrigará as big tech a moderar os conteúdos online de forma mais rigorosa. A notícia da aquisição do Twitter por Elon Musk foi avançada ontem, segunda-feira.

Wall Street fecha segunda sessão da semana com perdas

Bolsa de Nova Iorque termina negociações desta terça-feira no ‘encarnado’, pouco antes de empresas como Microsoft, Alphabet (Google) e da General Motors apresentarem contas trimestrais.

As polémicas (e amor) de Elon Musk no Twitter

Ao longo dos anos, Musk tornou-se um feroz crítico da rede social, pedindo várias mudanças, inclusive uma maior liberdade de expressão e menos moderação por parte da equipa da empresa no que é partilhado na rede.

De “inevitável” a “um perigo para a democracia”. As reações à compra do Twitter por Elon Musk

Se Musk já estava à espera das reações negativas, os comentários positivos só lhe dão força para concluir a aquisição da sua nova empresa. 
Recomendadas

CEO da Electronic IDentification: “Estivemos quase a desaparecer duas ou três vezes”

Iván Nabalón, fundador e CEO da Electronic IDentification, conta ao JE como quer aumentar os clientes digitais dos bancos e seguradoras.

Uberização do mercado das entregas deverá continuar a crescer

Empresas que trabalham para o sector da logística e transporte acreditam que a concorrência das plataformas digitais veio para ficar.

Navigator paga dividendo de 0,1406 euros por ação a 7 de junho

A partir do dia 3 de junho (inclusive), as ações serão transacionadas em mercado regulamentado sem conferirem direito ao dividendo, diz a empresa.
Comentários