Trump vê “Paris a arder e China em queda” e volta a criticar Reserva Federal

Esta não é a primeira vez que Donald Trump critica a política do banco central norte-americano. Última reunião do ano arranca amanhã e analistas esperam a quarta subida das taxas de juro deste ano.

AFP Photo/Brendan Smialowski

A um dia do início da última reunião do ano da reserva federal norte-americana, o presidente dos EUA, Donald Trump, voltou a criticar a possibilidade do organismo liderado por Jerome Powell avançar com uma nova subida das taxas de juro.

“É incrível que com um dólar muito forte e sem inflação, o mundo exterior a explodir à nossa volta, Paris a arder e a China em queda, a Fed está sequer a considerar outro aumento das taxas de juro”, escreveu, esta segunda-feira, Donald Trump no Twitter.

Esta não é a primeira vez que Donald Trump critica a política do banco central norte-americano. Em outubro, em entrevista à cadeia televisiva Fox, o líder norte-americano considerdou a ação do banco central a sua “maior ameaça”, defendendo que as taxas de juro estão a subir muito depressa.

A generalidade dos analistas acredita que a Fed irá proceder à quarta subida da taxas de juro este ano, na reunião que terá lugar esta terça e quarta-feira, depois de ter mantido inalteradas as taxas de juro no encontro de novembro, entre os 2% e os 2,25%, valores que permanecem sem alterações há três meses.

“A próxima reunião do Comité Federal de Mercado Aberto (FOMC) vai ser importante, dadas as diferenças significativas entre as expectativas dos mercados e a própria visão da Reserva Federal sobre a economia dos EUA. Se a Fed decidir surpreender os investidores, comprometendo-se com o avanço da sua política de aperto monetário, isso pode resultar em maior volatilidade e numa curva de rendimentos (yield) mais acentuada nos EUA”, disse Franck Dixmier, global head of fixed income da Allianz Global Investors (Allianz GI).

Recomendadas

PremiumEUA e zona euro vão ter uma “aterragem dura” na pista da recessão no próximo ano

A subida das taxas de juro para controlar a inflação vai ter forte impacto na economia em 2023. Alemanha afunda acima da média, com China a crescer acima do previsto.

PremiumJoão Caiado Guerreiro: “Os vistos gold têm sido extremamente positivos para o país”

Área de Imigração deverá continuar a ser das mais dinâmicas da Caiado Guerreiro, apesar do anunciado fim dos vistos ‘gold’. Processo para cobrar cinco milhões de euros em honorários à Pharol vai a julgamento em fevereiro.

Custo de cabaz alimentar de bens básicos aumentou 21% para adultos num ano, diz BdP

O banco central revela que entre outubro de 2021 e outubro de 2022, o custo mensal médio e mediano de um cabaz básico de consumo alimentar para um adulto com cerca de 40 anos aumentou 21% e 24%, respetivamente.
Comentários