Ucrânia e Polónia acordam passagem de camiões de transporte de combustível

Os veículos de transporte de combustível terão de preencher um formulário especial o mais tardar 24 horas antes de atravessarem a fronteira para terem direito à entrada livre em território polaco.

O Ministério das Infraestruturas da Ucrânia e o Ministério das Infraestruturas e Desenvolvimento da Polónia estabeleceram um acordo que prevê o trânsito livre de veículos envolvidos no transporte internacional de combustível, anunciou esta sexta-feira o serviço de imprensa ucraniano.

“O objetivo do Ministério das Infraestruturas nestas condições é a liberalização total do transporte internacional de carga para resolver este problema. As novas regras já entraram em vigor, e tanto os operadores de transportes ucranianos como os polacos podem tirar partido delas”, comentou o ministro das Infraestruturas ucraniano, Oleksandr Kubrakov, citado pela “Interfax”, que descreve a situação como crítica.

De acordo com o governante, os países continuarão a trabalhar na racionalização do transporte de carga e no desenvolvimento de regras tão simples e compreensíveis quanto possível para os operadores de transporte que transportam carga essencial para a Ucrânia.

Os veículos de transporte de combustível terão de preencher um formulário especial o mais tardar 24 horas antes de atravessarem a fronteira para terem direito à entrada livre em território polaco.

Em abril, a Ucrânia e a Polónia decidiram aumentar a quantidade de mercadorias ucranianas exportadas para a União Europeia e para o mercado global pela Europa por via ferroviária, prevendo criar uma empresa logística conjunta para este fim.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.

Fórum Seguros: “Dinheiro gerado deve ser investido em fundos que contribuem para a neutralidade carbónica”

Sofia Santos sublinhou o papel que as seguradoras têm, tendo em conta os riscos de transição, para ajudar os seus clientes a incorporar os riscos climáticos através dos produtos apresentados.

Preços na produção industrial aumentaram mais de 24%

Segundo o INE, o resultado deveu-se à “evolução dos preços da Energia e dos Bens Intermédios”.
Comentários