Ucrânia pede novo programa de ajuda financeira ao FMI

O regulador entende que o apoio do FMI é fundamental para que o país consiga alcançar um crescimento económico mais forte e a estabilidade financeira no próximo ano.

Fabrizio Bensch/REUTERS

O banco central ucraniano anunciou esta segunda-feira que vai recorrer a um novo programa de financiamento do Fundo Monetário Internacional (FMI). O regulador entende que o apoio do FMI é fundamental para que o país consiga alcançar um crescimento económico mais forte e a estabilidade financeira no próximo ano.

A grave recessão económica, que levou a uma queda de cerca de 17% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, obrigou o país a recorrer ao financiamento do FMI em abril deste ano. Apesar das reformas empreendidas, os esforços foram “insuficientes” e o banco central ucraniano fala agora na necessidade de se prolongar a ajuda financeira ao país.

“A Ucrânia deve começar as negociações sobre o lançamento de um novo programa de cooperação com o FMI antes do final do atual, no início de 2019”, anunciou o regulador bancário.

Recomendadas

Chefe do Estado-Maior são-tomense demite-se após ataque a quartel militar

O chefe do Estado-Maior das Forças Armadas de São Tomé e Príncipe pediu hoje a demissão, denunciando “atos de traição” e condenando os “factos horrorosos” que envolveram a morte de quatro detidos após um ataque ao quartel-general militar.

Orbán usou dados fornecidos na vacinação Covid pelos húngaros para impulsionar campanha eleitoral

“Usar os dados pessoais das pessoas recolhidos para que possam aceder a serviços públicos para bombardeá-los com mensagens de campanha política é uma traição de confiança e um abuso de poder”, disse Deborah Brown, da Human Rights Watch.

Projeto “Ponte nas ondas” integra Boas Práticas de Património Imaterial da UNESCO

O projeto luso-galaico “Ponte nas Ondas” foi hoje reconhecido pela UNESCO, em Rabat, Marrocos, passando a integrar o Registo de Boas Práticas de Salvaguarda de Património Cultural Imaterial daquela organização internacional, tornando-se na primeira candidatura portuguesa da lista.
Comentários