“Um negócio de divertimento bárbaro”, diz Bloco sobre morte de animas na Quinta da Torre Bela

Maria Manuel Rola, do Bloco de Esquerda, acredita que esta prática só é possível “porque temos uma legislação muito pouco atualizada”.

A deputada do Bloco de Esquerda (BE), Maria Manuel Rola reagiu à notícia do abate de 540 animais por 16 caçadores espanhóis na Quinta da Torre Bela e classificou o sucedido como sendo “um negócio de divertimento bárbaro”.

Maria Manuel Rola frisou, em declarações à TSF, que a caça “tem sido um negócio de divertimento bárbaro” e acredita que esta prática só é possível “porque temos uma legislação muito pouco atualizada”.

A bloquista acredita que “é preciso uma atualização da lei de bases da caça” e defende que “a própria ideia perversa de caça turística acaba por ter uma componente de negócio com pouca perspetiva de conservação animal e de bem-estar animal” que “normalmente tentam associar às atividades da caça”.

Para a deputada do BE, o sucedido na Torre Bela “deve fazer-nos refletir sobre aquilo que ainda é possível hoje em dia no nosso país” e “tem de deixar de existir”. Maria Manuel Rola é da opinião que o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas “tem de ter uma capacidade de controlo de todas as atividades cinegéticas que sejam levadas a cabo com o intuito de garantir o controlo de espécies”.

 

Relacionadas

Verdes condenam “massacre” na Quinta da Torre Bela e questionam ministro do Ambiente

Os Verdes classificam como “condenável, podendo mesmo ser apelidado de um verdadeiro massacre de veados e javalis” o que aconteceu na Quinta da Torre Bela. Assim, entre outras questões, perguntam ao Governo se teve o “ministério da Agricultura conhecimento da organização e ocorrência da referida montaria na Quinta da Torre Bela na Azambuja, quando e de que forma”.

PSD Azambuja apelida de limpeza matança de 540 animais no concelho para construção de central fotovoltaica

A concelhia do PSD na Azambuja alerta para o perigo do concelho se tornar inundado por estes projetos, alguns de dimensão “despropositada”, e faz saber que apresentará uma queixa formal à Procuradoria-Geral da República, ao Presidente da República e ao Presidente da Assembleia da República.

Ministro do Ambiente classifica caçada da Torre Bela de ato “vil” e “inaceitável”

O ministro do Ambiente referiu que o sucedido é “um crime ambiental”.  “Sem nenhuma pressão, este é o tempo de voltar a olhar para a lei da caça”, garantiu Matos Fernandes.
Recomendadas

Vitor Ramalho confessa ter deixado o PS em 2012 em rutura com António Seguro

O ex-dirigente socialista lembra que a disponibilidade manifestada por António Costa para se candidatar a secretário-geral do PS só aconteceu depois, em 2014, após as eleições para o Parlamento Europeu.

Aeroporto: Jerónimo de Sousa acusa PS e PSD de adiarem decisão de localização

“PS e PSD estão a tentar entender-se para um novo adiamento da construção do novo aeroporto”, afirmou Jerónimo de Sousa aos jornalistas, à margem de uma visita a uma exploração agrícola na Lourinhã, no distrito de Lisboa.

PS salienta à FRELIMO “cumplicidade” entre portugueses e moçambicanos

Na mensagem que dirigiu ao congresso da FRELIMO, que decorre até quarta-feira, Carlos César transmite também uma saudação a esta força política moçambicana do secretário-geral do PS e primeiro-ministro português, António Costa.
Comentários