Unitel pagou tranche de 30 milhões de dólares ao BPI

O Banco BPI informou agora o mercado que, em 9 de Dezembro de 2016, a Unitel pagou ao Banco BPI, junto do seu banco correspondente internacional para dólares norte-americanos, os 30 milhões de dólares que faltavam pagar pelos 49,9% do BFA vendidos em 2008.

Rafael Marchante/Reuters

Era uma das exigências do acordo assinado a 7 de outubro entre o BPI e a Unitel, que definiu as condições da venda de 2% do BFA à Unitel: Que esta pagasse a última tranche do preço acordado pela venda dos 49,9% do BFA  à sociedade de Isabel dos Santos em 2008. O dinheiro entrou no BPI no dia 9 de dezembro, tal como estava acordado.

O Banco BPI informou agora o mercado que, em 9 de Dezembro de 2016, a Unitel pagou ao Banco BPI, junto do seu banco correspondente internacional para dólares norte-americanos e nos termos previstos no Acordo Promessa de Compra e Venda de acções do BFA celebrado entre o Banco BPI e a Unitel em 9 de Dezembro de 2008, o valor de 30 milhões de dólares (28,18 milhões de euros), correspondente à última parcela do preço da operação de compra e venda de 49,9% do BFA que naquela data de 2008 foi concluída”.

Esta informação ao mercado foi solicitada pela CMVM para que os acionistas que amanhã se reúnem para votar a venda dos 2% do BFA à Unitel pudessem estar na posse de toda a informação. Essa foi um pedido dos minoritários à CMVM, soube o Jornal Económico.

Recorde-se que em dezembro de 2008 o BPI vendeu 49,9% do BFA por 370 milhões de euros (câmbio à data de 475 milhões de dólares), dos quais recebeu à cabeça 200 milhões de dólares e deixou para receber 275 milhões de euros, que seria pago em fases ao longo de 8 anos. Cada prestação foi acrescida de uma compensação financeira pelo tempo decorrido até à data de pagamento total.

 

Recomendadas

Fitch melhora perspetiva do rating do BCP

A mudança de perspectiva para o rating do BCP reflete, em parte, uma maior clareza em torno do provisionamento necessário para cobrir os riscos legais do Bank Millennium com empréstimos hipotecários denominados em francos suíços, na Polónia.

Sindicatos dos Quadros e SIB pedem apoio extraordinário para bancários no ativo

Ainda sobre as medidas do Governo de apoio para fazer face à inflação, o Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários (SNQTB) e o SIB (Sindicato Independente da Banca) pedem parecer sobre constitucionalidade do apoio aos pensionistas e exigem apoio extraordinário para bancários no ativo.

Rácio de crédito malparado na banca melhora para 3,4% no segundo trimestre

A queda “reflete a diminuição dos NPL (-4,0%) e o aumento dos empréstimos produtivos (+1,8%)”, explica o supervisor da banca. A rentabilidade também melhorou.
Comentários