Uso de máscara deixa de ser obrigatório nos transportes na Madeira

É necessário continuar a utilizar máscara em estabelecimentos e serviços de saúde e lares.

O uso de máscara deixa de ser obrigatório nos transportes coletivos de passageiros na Madeira a partir das 00:00 horas de segunda-feira, anunciou este domingo a empresa de transportes públicos Horários do Funchal (HF).

Este desagravamento resulta da resolução do Governo Regional da Madeira que declarou a situação de alerta na sequência da pandemia da covid-19, com efeitos a partir das 00:00 de segunda-feira até às 23:59 de 31 de agosto, desagravando a obrigatoriedade do uso de máscara, desta o grupo HF.

Na deliberação, que foi publicada no Jorna Oficial da Região Autónoma da Madeira, lê-se que o executivo madeirenses (PSD/CDS) resolveu “declarar a situação de alerta” nesta região autónoma, “por razões de saúde pública com o escopo de contenção da pandemia covid-19, com efeitos a partir das 00:00 horas do dia 01 e agosto de 2022 até às 23:59 horas do dia 31 de agosto de 2022”.

O Governo Regional decidiu “determinar a obrigatoriedade do uso de máscara” apenas “em estabelecimentos e serviços de saúde” e “estruturas residenciais ou de acolhimento ou serviços de apoio domiciliário para populações vulneráveis, pessoas idosas ou pessoas com deficiência, bem como unidades de cuidados continuados integrados (UCCI) da Rede de Cuidados Continuados Integrados” da região.

A máscara tem ser também usada em casos confirmados de infeção, “em todas as circunstâncias, sempre que esteja fora do seu local de isolamento, até ao décimo após a data do início de sintomas ou do teste positivo”, acrescenta.

Face a esta resolução, a HF realça que deixa de ser obrigatório o uso de máscara nesta empresa e na Companhia de Carros de São Gonçalo.

“O Grupo Horários do Funchal continua a trabalhar em estreita colaboração com o Governo Regional e com as Autoridades Regionais de Saúde”, indica, complementando que vai “dar cumprimento a esta alteração”.

Contudo, alerta “os seus utilizadores que, embora o serviço de transporte coletivo de passageiros fique integralmente normalizado, recomendando que sempre que possível mantenham os cuidados normais de higiene, nomeadamente a frequente lavagem ou desinfeção das mãos e a etiqueta respiratória”.

Também anuncia que vai “manter os dispensadores de álcool gel, disponibilizados gratuitamente à entrada dos autocarros” e continuará a “assegurar a limpeza e higiene diárias nos veículos, contribuindo para viagens seguras e confortáveis”.

Recomendadas

TAP. Sindicatos acusam gestão de colocar empresa em “rota de colisão”

Os sindicatos que hoje promoveram um protesto com cerca de 1.000 trabalhadores da TAP entregaram um manifesto no Ministério das Infraestruturas, endereçado a Pedro Nuno Santos, onde acusam a gestão de colocar a empresa em “rota de colisão”.

Ministério das Infraestruturas assegura que está atento às “reivindicações e apelos expressos dos trabalhadores da TAP”

Contudo, o ministério liderado por Pedro Nuno Santos defende que “é preciso não esquecer que a companhia aérea atravessa ainda aquele que é o momento mais desafiante da sua história”, aludindo aos efeitos da pandemia no sector. 

TAP: Várias centenas de trabalhadores protestam pela melhoria do serviço (com áudio)

Várias centenas de trabalhadores da TAP, entre pilotos, tripulantes de cabine e técnicos de manutenção, manifestam-se hoje, em Lisboa, numa marcha silenciosa até ao Ministério das Infraestruturas, pela melhoria da qualidade do serviço e sustentabilidade da empresa.
Comentários