Vodafone fecha acordo para compra da Nowo

A operadora de telecomunicações anunciou esta sexta-feira um acordo com a Llorca JVCO Limited, acionista da Másmóvil.

Cristina Bernardo

A Vodafone Portugal anunciou esta sexta-feira que celebrou com a Llorca JVCO Limited, acionista da Másmóvil, um acordo para a compra da empresa Cabonitel, dona da operadora de telecomunicações portuguesa Nowo. O negócio – cujo valor não foi mencionado – ainda está sujeito a aprovação regulatória, o que deverá acontecer no primeiro semestre de 2023.

“A aquisição da Nowo irá permitir à Vodafone aumentar a sua base de clientes, bem como a sua cobertura de rede fixa. A futura modernização da rede adquirida para a nova geração de fibra ótica irá beneficiar os atuais e futuros utilizadores, ao garantir a qualidade e a resiliência acrescida desta infraestrutura”, explicou  CEO da Vodafone Portugal, em comunicado divulgado esta tarde aos meios de comunicação social.

Segundo Mário Vaz, “com 30 anos de atividade comercial no mercado português, esta operação é mais uma demonstração do compromisso da Vodafone, e do seu acionista, com o país, e do empenho no desenvolvimento de uma sociedade e de um tecido empresarial cada vez mais digitais em Portugal”.

A operação não chega de rompante. A surpresa poderá estar nas voltas que entretanto levou. Em março do ano passado, a espanhola MásMóvil contratou o Goldman Sachs para estudar aquisições nos mercados espanhol e português, incluindo uma eventual fusão com a Vodafone, tal como avançou o jornal “El Confidencial”. Ainda antes, em plena pandemia (mais precisamente em outubro de 2020), veio a público que a telecom que controlava a Nowo teria apresentado uma proposta de 6 mil milhões de euros pela Vodafone Espanha e o interesse estendia-se à Vodafone Portugal.

A Vodafone destaca, na nota enviada à imprensa, que a Nowo é o quarto maior operador convergente em Portugal, com cerca de 250 mil subscritores do serviço móvel, 140 mil clientes do acesso fixo (televisão paga ou ‘Pay TV’ e banda larga) em cerca de um milhão de casas cobertas com a sua infraestrutura de comunicações.

“A aquisição da operação da Nowo pela Vodafone vem reforçar a sua competitividade no mercado, dotando-a de maior escala e de maior cobertura, com benefícios para os atuais e para os futuros clientes, bem como para o setor. Cria ainda as condições para investimentos mais eficientes em redes de conectividade de elevado débito, bem como no desenvolvimento de produtos e serviços inovadores”, assegura a empresa.

Notícia atualizada às 17h35

Recomendadas

Semapa aprova distribuição de reservas no montante de quase 100 milhões

Na Assembleia Geral Extraordinária da Semapa foi aprovada a proposta de distribuição de reservas no montante ilíquido por ação de 1,252 euros.

Bancos têm de cumprir reserva de fundos próprios de 0,25% a 1% em 2023

O BCP tem de ter uma reserva de 1%, tal como a CGD. O Santander e BPI têm de ter no seu rácio uma reserva de 0,5% e ao Banco Montepio é exigida uma reserva de 0,25%, tal como à Caixa de Crédito Agrícola. Sendo que todos têm de cumprir este ‘buffer’ a partir do dia 1 de janeiro de 2023, excepto o Crédito Agrícola.

Inapa conclui a aquisição da francesa LOOS

O Grupo Inapa concluiu a aquisição da LOOS, empresa especializada na comercialização de equipamento de impressão e consumíveis para comunicação visual (Viscom). A J.J LOOS tem sede em Mulhouse, França. O valor do negócio não foi revelado.
Comentários