Catalunha: Xavi defende que um país democrático não pode ter prisioneiros políticos

Xavi, um ‘catalão de gema’ e figura maior do futebol espanhol, realçou que sempre defendeu Espanha, mas apoia a realização de “um referendo, para que a pessoas digam o que querem”.

Xavi num jogo da seleção espanhola com o Chile, em 2013, a disputar o lance com David Pizarro

Numa entrevista para a “Rádio Catalunya”, o futebolista Xavi defendeu a posição independentista catalã, ao afirmar que não pode haver presos políticos num país democrático. O antigo jogador do Barcelona FC revelou a sua posição na véspera das eleições para o Parlamento Regional da Catalunha, que decorrem esta quinta-feira.

“Parece-me muito grave que um país democrático tenha prisioneiros políticos”, afirmou o jogador, conhecida figura da Catalunha e do futebol espanhol, no programa ‘Tot Costa’.

O centro-campista de 37 anos, atualmente a jogar no Al-Sadd da Arábia Saudita, falou também sobre o facto de ter ido votar vestido de amarelo – cor-símbolo da questão independentista -, no referendo convocado pelo antigo Governo Regional da Catalunha, chefiado por Carles Piudgemont. “Sim, votei de amarelo, não foi coincidência. Fi-lo porque era o que queria, se dissesse o contrário seria um hipócrita”, disse Xavi.

Ainda assim, Xavi, um ‘catalão de gema’ , realçou que sempre defendeu Espanha, mas apoia a realização de “um referendo, para que a pessoas digam o que querem”.

A 1 de outubro, o Governo Regional da Catalunha realizou um referendo, em inóspitas circuntâncias, para que os eleitores catalães respondessem à pergunta: “Quer que a Catalunha seja um Estado independente em forma de República?”.

O governo espanhol considerou a ação da Generalitat ilegal e recorreu à Constituição espanhola de 1978 para inviabilizar o referendo catalão. Em consequência, membros da Generalitat e partidários da independência foram presos, o chefe de Governo Carles Puidgemont exilou-se na Bélgica e a 27 de outubro o Parlamento da catalunha foi dissolvido e novas eleições foram convocadas por Mariano Rajoy, para esta quinta-feira.

O processo eleitoral na Catalunha começou às 8h (hora de Lisboa), depois de terem sido constituídas as mesas eleitorais em toda a região autónoma espanhola. Para estas eleições regionais estão abertas 8.247 assembleias de voto. As urnas encerram às 19h (hora de Lisboa).

Relacionadas

Catalunha: Esquerda republicana lidera sondagens a um dia das eleições

As últimas sondagens dão vitória aos independentistas da esquerda republicana (ERC), mas sem conseguir a maioria necessária para assegurar a governação da região.

Puigdemont admite voltar se for “respeitado resultado” das eleições regionais

O número um da candidatura do Junts per Catalunya (JxCat), Carles Puigdemont, disse que deverá voltar à Catalunha se “for respeitado o resultado” das eleições de quinta-feira, e os eleitores recusarem o artigo 155.º da Constituição.
Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.

Portugal é o terceiro favorito a ganhar o Mundial, prevê casa de apostas

Após o triunfo por 6-1 frente à Suíça, resultado que colocou Portugal no caminho de Marrocos nos quartos-de-final do Mundial, a Seleção comandada por Fernando Santos é agora a terceira favorita a ganhar a competição, empatada com a Argentina e a Inglaterra.

Respostas Rápidas: Que jogadores de Portugal mais podem valorizar neste Mundial?

Da baliza ao ataque, da Luz ao Dragão passando por Madrid, a prestação da Seleção portuguesa no Mundial pode dar muito a ganhar em 2023, sobretudo aos clubes que “emprestam” os seus melhores ativos para a prova de seleções de excelência a nível mundial. Saiba que jogadores poderão sair mais valorizados com a promessa das milhões para o fecho de contas do primeiro semestre da temporada.
Comentários