‘Yields’ da zona euro recuam após decisão de Draghi

As taxas das dívidas soberanas desagravam na zona euro, após a reunião de ontem do Banco Central Europeu.

As ‘yields’ das Obrigações soberanas da zona euro recuam em todas as maturidades após o Banco Central Europeu (BCE) ter anunciado que vai prolongar o programa de compras até dezembro de 2017, mas a um ritmo mensal reduzido para 60 mil milhões de euros a partir de abril.

No mesmo sentido, a taxa da dívida soberana portuguesa a 10 anos cai 3 pontos base para 3,743%, depois de ontem ter encerrado nos 3,75% para os 23 pontos base, a maior subida diária em quase seis meses.

A equivalente italiana desce 4 pontos base para 1,993%, enquanto a do Bund alemão, principal referência do mercado europeu, desce 10 pontos base para 0,37%. No entanto, a taxa da dívida espanhola sobe em todas as maturidades, agravando 9 pontos base para 1,517%.

A grande maioria dos analistas consultados pela Bloomberg previa que o BCE prolongasse o programa, mas até setembro e ao ritmo actual de 80 mil milhões de euros.

Relacionadas

Draghi segura juros da dívida europeia por mais um ano

O sentimento do mercado foi ficando mais pessimista ao longo da sessão, à medida que os investidores absorviam a informação. ‘Yields’ acabaram mesmo por disparar.

Portugal ganha 2,7 mil milhões elegíveis no BCE

Portugal tem agora 10,5 mil milhões de euros ainda elegíveis para compras por parte do Banco Central Europeu.

Lagarde aplaude Draghi: “Vai ajudar ao crescimento da zona euro”

O Fundo Monetário Internacional (FMI) aplaudiu a decisão do Banco Central Europeu (BCE) de prolongar a compra de dívida até ao final de dezembro de 2017 e destacou a vontade do organismo para elevar a inflação na zona euro.

BCE revê em alta previsão de crescimento na zona euro para 2017

O Banco Central Europeu manteve as suas previsões de crescimento da zona euro para 2016 em 1,7%, valor que agora antecipa também para 2017, o que representa uma ligeira revisão em alta face à anterior projeção (1,6%).

Draghi: “O fim gradual do programa de compras não foi discutido”

O BCE vai passar a comprar também ativos abaixo da taxa de depósitos que está em nível negativo. “É uma opção, não uma obrigação”.
Recomendadas

Emirados Árabes Unidos vão fornecer à Alemanha gás liquefeito e gasóleo em 2022 e 2023

Segundo a agência noticiosa oficial dos Emirados, Wam, o acordo prevê a exportação de uma carga de gás natural liquefeito (GNL) para a Alemanha no final de 2022, seguida do fornecimento de quantidades adicionais em 2023.

Angola cresce 3,5% este ano, mas abranda para 1,8% em 2023

“O forte crescimento de Angola este ano dificilmente vai prolongar-se para 2023, já que a produção petrolífera deverá regressar à tendência decrescente”, lê-se numa análise às maiores economias da África subsaariana, região que deverá ver o PIB deste ano expandir-se 3,3%, abrandando face aos 4,4% do ano passado.

China diz que EUA estão a enviar “sinais perigosos” sobre Taiwan

O ministro dos Negócios Estrangeiros chinês deixou claro que uma escalada das atividades independentistas torna difícil um acordo pacífico, no que diz respeito a Taiwan,
Comentários