Miguel Miranda: “Multidisciplinariedade? Estamos a competir num universo virtual mas estamos em desvantagem”

“Hoje em dia, o cliente não quer só a vertente jurídica separada da vertente financeira e dissociada da vertente de IT. O cliente quer tudo isso: o internacional e, cada vez mais, os nacionais. Estamos a competir num universo virtual mas estamos em desvantagem”, destaca Miguel Miranda, managing partner e sócio da PRA – Raposo, Sá Miranda & Associados.

São vários os desafios que se colocam às sociedades de advogados em 2022. O advogado Miguel Miranda, managing partner e sócio da PRA – Raposo, Sá Miranda & Associados, aborda nesta entrevista a Mariana Bandeira, jornalista do JE, temas como as mudanças no mecanismo de ‘governance’ desta sociedade de advogados, a proximidade geográfica como trunfo e as vantagens e desvantagens da multidisciplinariedade.

“Hoje em dia, o cliente não quer só a vertente jurídica separada da vertente financeira e dissociada da vertente de IT. O cliente quer tudo isso: o internacional e, cada vez mais, os nacionais. Estamos a competir num universo virtual mas estamos em desvantagem”, destaca Miguel Miranda, managing partner e sócio da PRA – Raposo, Sá Miranda & Associados.

O mundo da advocacia está em destaque no programa “Falar Direito”, programa semanal da plataforma multimédia JE TV, que conta também com uma versão em podcast, com apresentação de Filipe Alves e Mariana Bandeira.

Relacionadas

Governance, internacionalização e multidisciplinaridade. Veja o “Falar Direito” com o advogado Miguel Miranda

Governance da PRA, internacionalização, desafios tecnológicos e multidisciplinariedade foram temas abordados nesta edição do programa “Falar Direito”, da plataforma multimédia JE TV. Miguel Miranda, managing partner e sócio da PRA – Raposo, Sá Miranda & Associados, aborda estes e outros temas nesta entrevista a Mariana Bandeira, jornalista do JE.
Recomendadas

PremiumParpública escolhe VdA para assessorar venda da Efacec

O Governo depois de analisar vários cenários optou por retomar o processo de privatização da Efacec e já há caderno de encargos.

Premium“M&A pode ter algum abrandamento mas vai continuar dinâmico”

Num ano marcado pela incerteza gerada pelo conflito na Ucrânia, pela escalada da inflação e pela subida dos juros, áreas de prática como Energia e Reestruturações deverão ter grande atividade, diz a líder da Abreu. M&A permanece dinâmico graças a sectores como tecnologia.

Menezes Leitão: “Lei das Associações Públicas Profissionais pretende colocar Ordem dos Advogados sob controlo do poder político”

Luís Menezes Leitão recandidata-se a bastonário da Ordem dos Advogados. Em entrevista ao NOVO, defende o sistema de acesso ao Direito e recusa que exista uma Justiça para ricos e outra para pobres
Comentários