Glovo vai comprar startup portuguesa Kitch

A empresa de Lisboa, que vai continuar a ser liderada pelos empreendedores Rui Bento e Nuno Rodrigues, irá expandir a sua solução para os 25 países onde a multinacional de entregas opera, a começar por Itália e Geórgia.

A Glovo chegou a acordo para adquirir a startup portuguesa Kitch, uma tecnológica que trabalha com os restaurantes para criar conceitos adaptados ao consumo de refeições ao domicílio e tornar as cozinhas mais virtuais – no sentido em que os chefs e gestores da restauração têm ao seu dispor mais ferramentas digitais.

A empresa de Lisboa, cuja sede se mantém em Portugal, vai ser integrada na multinacional espanhola, através de uma fusão com a sua subsidiária WinDelivery, mas continuará a operar de forma independente e a ser liderada pelos empreendedores portugueses Rui Bento e Nuno Rodrigues.

“Dá-nos a possibilidade de disponibilizar a tecnologia da Kitch a uma vasta comunidade de restaurantes, nos mais de 25 países onde a Glovo está presente. Apesar de continuarmos a operar de forma independente, sentimos que partilhamos com a Glovo a mesma visão sobre o serviço que queremos dar aos restaurantes”, comenta o CEO da Kitch, Rui Bento, sobre o negócio.

A empresa de Barcelona pretende, com esta operação, dar aos restaurantes aderentes acesso a novas soluções tecnológicas, que poderão adotar de acordo com as suas necessidades: impulsionar as entregas, lançar o seu próprio site com entregas integradas e/ou impelir a marca. À semelhança das recentes aquisições do Mercadão e Lola Market, a equipa da Kitch vai trabalhar em conjunto com a Glovo para levar a sua tecnologia para os 25 países onde a app de entregas opera, a começar por Itália e Geórgia.

“Com a aquisição tanto da Kitch como da WinDelivery vamos poder responder a uma nova procura no mercado. Os restaurantes estão a mostrar cada vez mais interesse em fazer crescer as suas vendas online e queremos ser o seu parceiro nesta procura, ultrapassando a sua presença no nosso marketplace”, explica a vice-presidente de Inovação Alimentar da Glovo, Ana Champetier. “Construir a sua própria loja online, gerir diretamente os seus clientes e melhorar as suas operações na cozinha são passos importantes para todos os restaurantes que querem que o seu negócio de entregas cresça”, sublinha.

A Kitch mantém o plano de aumentar a equipa de 53 pessoas, que trabalham maioritariamente de forma remota, para mais de uma centena nos primeiros meses deste ano. No final de 2021, o objetivo era alcançar as 5 milhões de refeições entregues pelos restaurantes que utilizam a sua plataforma, mas o número deverá agora escalar. “Queremos que todos os restaurantes, independentemente do seu tamanho e do sítio onde se encontram, possam tirar maior partido das suas vendas digitais”, reforça Rui Bento.

Alemães aumentam posição na Glovo para 80%

Relacionadas

Lisboeta fez mais de 4 mil pedidos na Glovo e gastou quase 30 mil euros num ano

A aplicação de entregas revelou que um dos seus clientes em Portugal fez encomendas de 29.133 euros em 2021. Pizzas, hambúrgueres, gelados e frango lideram entre as refeições mais encomendadas na Glovo no país.

Alemães aumentam posição na Glovo para 80%

A operação, que está sujeita à aprovação das autoridades dos países nos quais operam, deverá ficar concluída durante o segundo trimestre deste ano.
Recomendadas

Exclusivo: Bónus milionário da CEO da TAP não é válido

O contrato assinado entre a TAP e a gestora francesa Christine Ourmières-Widener prevê um bónus que pode chegar a três milhões de euros no prazo de cinco anos, revela o documento, a que o Jornal Económico teve acesso. No entanto, o contrato não será válido, uma vez que uma das suas cláusulas prevêem que teria de ser aprovado pela Assembleia Geral da TAP SGPS, algo que nunca chegou a acontecer.

Pampilhosa da Serra assina novo contrato para assegurar transporte de passageiros

O município da Pampilhosa da Serra, no interior do distrito de Coimbra, vai pagar mensalmente mais de 15 mil euros a uma empresa para assegurar o serviço de transporte público de passageiros nas linhas que funcionam atualmente.

Martifer com contrato de 68 milhões para fazer viadutos ferroviários em Birmingham

“O fabrico da estrutura metálica será realizado maioritariamente no pólo industrial do grupo Martifer, em Oliveira de Frades, permitindo reforçar a vertente exportadora do grupo Martifer, que atualmente representa mais de 85 % do volume de negócios do segmento de estrutura metálica em Portugal”, refere a empresa.
Comentários