Grupo Pestana pondera aumentar salários devido à falta de mão de obra 

“Nós sabemos que há uma exiguidade de recursos humanos. Temos que saber cativar e tornar a atividade mais glamorosa e certamente tal passará por uma melhor remuneração”, afirmou Paulo Prada, administrador do grupo hoteleiro.

O Grupo Pestana está a ponderar aumentar a remuneração mínima dos seus funcionários já no próximo ano para combater a falta de mão de obra, um problema que tem afetado o setor da hotelaria. A informação vem de Paulo Prada, administrador do grupo hoteleiro, em declarações à Antena 1.

“Nós sabemos que há uma exiguidade de recursos humanos. Temos que saber cativar e tornar a atividade mais glamorosa e certamente tal passará por uma melhor remuneração”, afirmou o responsável durante a apresentação de do novo projeto imobiliário, o hotel Madeira Aqua Residences, no antigo Hotel Madeira Palácio.

“É muito provável que no próximo ano venhamos a subir a nossa remuneração mínima”, disse ainda Paulo Prada.

Recomendadas

Afinal, que soluções existem para as empresas?

O Banco Português de Fomento lançou no início do ano os dois primeiros programas para apoiar a solvabilidade do tecido empresarial português. A banca está focada em aconselhar e montar as operações.

Presidente da Ryanair antecipa subida de preços nas ‘low-cost’

Michael O’Leary diz que o preço médio por bilhete deverá subir entre 10 a 20 euros nas viagens low-cost, que estão a tornar-se, segundo o mesmo, “demasiado baratas”.

Candidaturas selecionadas para o Consolidar conhecidas em julho

Os programas Recapitalização Estratégica e Consolidar têm gerado grande interesse, diz a presidente da comissão executiva do Banco Português de Fomento, Beatriz Freitas, ao Jornal Económico.
Comentários