Hotéis e restaurantes pedem “medidas compensatórias” devido a suspensão de festas no Ano Novo

A associação defende que os cancelamentos de festas de Ano Novo “vêm abalar a confiança, quer das empresas quer dos consumidores”.

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) pediu ao Governo, esta terça-feira, que fossem criadas “medidas compensatórias” devido à suspensão de festas de Ano Novo.

Assim, tendo em conta o cancelamento de festas da passagem de ano por diversas autarquias, a AHRESP apela, em comunicado, “para que haja, urgentemente, soluções que compensem a redução prevista de faturação das empresas que dependem, de forma direta e indireta, de ações de promoção turística de promoção do país e do território”.

No comunicado a associação que representa Hotelaria Restauração e Similares sublinha que os cancelamentos “vêm abalar a confiança, quer das empresas quer dos consumidores”.

“Não colocando em causa os motivos que levam a estes cancelamentos, este tipo de comemorações, geralmente ao ar livre, têm um papel muito importante para o Turismo, em particular para a dinamização das atividades da restauração, similares e do alojamento turístico”, sublinha a AHRESP.

 

Relacionadas

AHRESP apela ao Governo que promova redução do endividamento das empresas

Um dos pedidos da AHRESP ao Governo passa por disponibilizar “20% de todo o financiamento concedido no âmbito das linhas de crédito Covid-19” em “fundo perdido”. 

AHRESP alerta para perdas de 35 mil milhões de euros e 900 mil empregos caso a Europa regresse ao confinamento

Para evitar as perdas previstas, as entidades consideram que os estados-membros da União Europeia “devem alinhar numa resposta comum à situação pandémica”, para evitar impor limites à liberdade de movimentos.
Recomendadas

“2023 será um ano de crescimento nos mercados externos”

O Grupo VAA tem como objetivo globalizar as suas duas marcas principais, Vista Alegre e Bordallo Pinheiro, e identificou sete mercados estratégicos onde está a apostar, explica Nuno Barra.

“Empresas arriscam sozinhas a entrada em mercados pela fraca dinamização e falta de apoio”

Mais de mil empresas participaram no Portugal Exportador no dia 23, orientado para a estratégia de internacionalização.

Rampa Digital dá consultoria às empresas sobre negócios no online

Associação .PT, gestora do domínio web português, quis estar perto das empresas que estão em processo de internacionalização.
Comentários