Portugal inicia processo de vacinação contra a Covid-19. Já foi administrada a primeira vacina 

A primeira vacina foi administrada ao médico e professor António Sarmento, diretor do serviço de infecciologia no Centro Hospitalar de São João, no Porto. “É evidente que o risco não é zero, mas também não é zero para nenhuma medicação ou vacina nova que se venha a desenvolver”, disse.

José Coelho / Lusa

Portugal iniciou o processo de vacinação contra a Covid-19 este domingo de manhã, passavam cerca de sete minutos das 10h00. O primeiro fármaco desenvolvido pela Pfizer/BioNTech, foi administrado a António Sarmento, no Centro Hospitalar Universitário de São João (Porto), pela enfermeira Ana Isabel Ribeiro, que também irá receber a vacina ainda hoje.

O professor António Sarmento tem 65 anos e é diretor do serviço de infecciologia do Hospital de São João, a primeira unidade hospitalar em Portugal a receber doente infetados com o novo coronavírus.

“Estou absolutamente tranquilo com a vacina, mas não com este aparato todo [dos meios de comunicação social]. Isso sim faz-me sofrer um bocado, a vacina não. Estou absolutamente confiante, otimista, com esperança e como qualquer outro cidadão: não fugirei nunca da vacina, mas também não correi atrás dela. Quando chegasse a minha vez… E chegou”, começou por dizer à imprensa.

“É evidente que o risco não é zero, mas também não é zero para nenhuma medicação ou vacina nova que se venha a desenvolver. Todas elas tiveram fases de estudo, ensaios de fase um, dois, três e depois foram comercializadas e expandidas para a Humanidade”, destacou o profissional de saúde.

O médico e professor António Sarmento referiu que os últimos ensaios clínicos ao fármaco da farmacêutica norte-americana, que envolveram 44 mil pessoas, mostraram que “as reações quer locais quer sistémicas são absolutamente semelhantes às de outras vacinas víricas”.

A ministra da Saúde, Marta Temido, está a acompanhar o momento histórico. A seguir, desloca-se para o Centro Hospitalar Universitário do Porto e para o Centro Hospitalar Universitário de Coimbra.

A primeira dose de vacinas (9.750 unidades) chegou ontem a Portugal, mas como a Pfizer antecipou o calendário de distribuição o país irá receber uma segunda dose de 70.200 unidades.

“Significa que neste mês de dezembro teremos uma chegada desta nova vacina da Pfizer que atinge as 79.950 doses, divididas nestas duas entregas”, clarificou Marta Temido, em conferência de imprensa. “Tanto quanto sabemos neste momento, o número total de vacinas no primeiro trimestre não se irá alterar”, ressalvou a ministra, na quarta-feira.

Notícia atualizada às 10h24

Relacionadas

“Quando posso ser vacinado?”. DGS lança simulador sobre a vacina contra a Covid-19

Portugal inicia este domingo a primeira fase de vacinação contra a covid-19, mais de nove meses depois do primeiro caso registado no país, numa iniciativa que abrange ao longo dos próximos dois dias os 27 estados-membros da União Europeia. Simulador da DGS permite uma data aproximada sobre quando poderá ser vacinado.
Recomendadas

Inovação e aposta no digital para competir no mercado estrangeiro

Especialistas defendem que os processos empresariais devem ser cada vez mais incorporados com meios tecnológicos, ao mesmo tempo que destacam a importância de conseguir atrair e reter talento. Por Rodolfo Alexandre Reis

Pandemia custou ao Estado português 3.302,7 milhões de euros até outubro

No período homólogo, a pandemia de covid-19 tinha custado 6.247,9 milhões de euros ao Estado, segundo foi então divulgado pela Direção-Geral do Orçamento.

OE2023: Ministro Pedro Nuno Santos traça linha de demarcação entre socialistas e direita

O ministro das Infraestruturas e da Habitação traçou hoje uma linha de demarcação entre socialistas e direita em torno das opções políticas, acentuando uma ideia de “liberdade igual para todos” em contraponto à “desregulação e competição”.
Comentários