“A Arte da Guerra”. Investigação a Trump “vai acelerar decisão de recandidatura”

Tudo indica que Donald Trump está prestes a tornar-se no próximo candidato republicano às presidenciais de 2024. Já neste hemisfério, a forma como o regime iraniano lidou com o ataque a Salman Rushdie e a prestação dos russos no terreno de guerra são também temas analisados pelo embaixador Francisco Seixas da Costa.


Tudo indica que o ex-presidente está prestes a tornar-se no próximo candidato dos republicanos às presidenciais de 2024 – num cenário em que Donald Trump é cada vez mais um trunfo seguro do partido. Bem menos segura foi a forma como o regime iraniano lidou com o ataque ao escritor Salman Rushdie, que pode ter implicações no já de si difícil processo de Viena, em torno do Acordo Nuclear.

Igualmente insegura parece ser por estes dias a prestação dos russos no terreno de guerra da Ucrânia, nomeadamente no que tem a ver com a Crimeia.

Tudo para ver esta semana em “A Arte da Guerra”, da plataforma JE TV, um programa conduzido pelo jornalista António Freitas de Sousa e com os comentários do embaixador Francisco Seixas da Costa.

Recomendadas

Luís Gomes: “O país precisa de uma nova arquitetura da Função Pública”. Veja o “Discurso Direto”

Discurso Direto é um podcast do Novo Semanário e do Jornal Económico onde todas as semanas são entrevistados os protagonistas da política, da economia, da cultura e do desporto.

“Café com o CEO”. Assista à conversa com o Dr. Luís Teles, em direto a partir de Luanda

“Café com o CEO” é uma iniciativa promovida pela empresa angolana E.J.M, fundada por Edivaldo Machado em 2012, que procura dar a conhecer os líderes que estão a dar cartas em Angola e outros países da Lusofonia. Assista à sessão em direto de Luanda, capital angolana.

Rogério Carapuça: “Há que estar entre os primeiros, não ser o primeiro dos últimos”

O presidente da APDC considera que o desenvolvimento do sector das TIC se dá a um ritmo saudável apesar dos obstáculos concretos que ainda impedem o país de estar entre os melhores classificados. A capacitação e qualificação das pessoas e das empresas são desafios no topo da agenda, mas a simplificação é palavra de ordem para abandonar o paradigma da burocracia que assombra os serviços públicos, alerta Rogério Carapuça.
Comentários