Bolsa de Lisboa encerra no ‘vermelho’. Petróleo é negociado abaixo dos 100 dólares

As principais bolsas europeias também terminaram a sessão em terreno negativo. O preço das ações da Altri recuou mais de 9%.

Andrew Kelly/Reuters

A Bolsa de Lisboa (PSI) encerrou o primeiro dia de agosto em território negativo, a perder 0,43%, para os 6.096,99 pontos, com a Altri a liderar nas perdas.

A Altri viu as suas ações a recuarem 9,38% para os 5,22 euros, seguida da Navigator, que perdeu 2,53% para os 3,93 euros. Em terceiro lugar nas perdas está a Sonae, que desvalorizou 1,80% para os 1,0900 euros. A Galp também está a perder, com as ações a recuarem 1,41% para os 10,13 euros. Em último lugar nas perdas está o BCP, que recua 0,90% para os 0,1432 euros.

Nos ganhos liderou a EDP Renováveis, cujas ações avançaram 1,42% para os 25,66 euros, seguida da NOS, que ganhou 1,14% para os 3,74 euros. Em terceiro lugar ficou a REN, a valorizar 1,09% para os 2,795 euros. Na quarta posição está a EDP, que valorizou 0,77% para os 4,98 euros. A Jerónimo Martins também está no ‘verde’, com as suas ações a avançarem 0,35% para os 22,70 euros. Em último lugar nos ganhos ficou a Greenvolt, com as ações a valorizarem 0,23% para os 8,84 euros.

A boa prestação da EDP Renováveis no PSI surge num dia em que a empresa energética assegurou um Contrato de Aquisição de Energia (“CAE”) para a venda de energia limpa produzida por um projeto solar nos EUA, com uma capacidade tecnológica de até 200 MWac, projeto que deverá entrar em funcionamento em 2024.

Também é de referir a venda por parte da Greenvolt de dois parques solares e eólicos na Polónia à espanhola Iberdrola, uma transação de 155 milhões de euros.

As principais bolsas europeias também terminaram a sessão em terreno negativo. O DAX (Alemanha) decresceu 0,03%, o FTSE 100 (Reino Unido) recuou 0,12%, o CAC 40 (França) desvalorizou 0,18% e o IBEX 35 (Espanha) recuou 0,83%.

Segundo o analista de mercados Ramiro Loureiro, do Millennium Investment Banking, foi o entrave à indústria que provocou a baixa nos principais índices europeus.  Em particular, o índice espanhol foi castigado pelas decidas de “pesos pesados” como Santander, Telefónica e Repsol, que foi arrastado pelo ambiente negativo do setor, num dia em que os preços do petróleo recuam mais de 4%.

O analista refere ainda a confirmação de que a atividade industrial na Zona Euro entrou em contração no mês de julho, “numa indicação semelhante à trazida pelo indicador oficial na China para o setor transformador vieram alimentar cenários de recessão”.

O preço do barril de petróleo está a descer, com o brent a recuar 4,55% para os 99,24 dólares e o crude a descer 5,76% para os 92,94 dólares.

No mercado cambial, o euro está a ter uma valorização face ao dólar, com uma subida de 0,55%, para os 1,0274 dólares.

Atualizada às 17h05

Recomendadas

Bolsa de Lisboa cai para o ‘vermelho’ com EDP’s a liderar perdas

No mercado cambial, o euro está a ter uma desvalorização de 0,11% face ao dólar, para os 1,0169 dólares.

Bolsa abre no ‘verde’ com Greenvolt a liderar ganhos

O petróleo está a negociar em quebra com o brent a descer 0,16% para os 93,50 dólares e o crude desvaloriza 0,22% para os 87,92 dólares.

Wall Street interrompe série de cinco dias no verde apesar de sinais da Fed

A Reserva Federal indicou que poderá aliviar a política monetária quando a pressão nos preços começar a dar sinais de abrandamento, mas tal não foi suficiente para inverter a tendência alimentada por resultados desapontantes do sector do retalho.
Comentários