Brexit: Profissionais do SNS do Reino Unido pedem que governo estenda período de transição

A confederação do NHS pediu ao número 10 em Downing Street que o período de transição para o Brexit fosse prolongado por mais um mês, como forma de impedir uma rutura total do serviço de saúde pública no território. “Estamos a poucos dias do precipício”, lê-se na carta enviada ao governo de Boris Johnson.

Londres, Reino Unido | Andrew Redington/Getty Images

Os profissionais de saúde do Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido (NHS, sigla em inglês), pediram que o governo de Boris Johnson prolongasse o período de transição para o Brexit por mais um mês, argumentando que uma saída a 31 de dezembro, conforme acordado com a União Europeia, poderia condicionar a saúde dos pacientes durante a crise da Covid-19 no território. O pedido surge numa altura em que Londres e Bruxelas continuam as negociações para uma saída com acordo comercial.

De acordo com a notícia avançada pelo “The Guardian”, esta quarta-feira, o elevado número de novos casos confirmados, devido à nova estirpe que circula pela Grã-Bretanha, está neste momento a colocar uma maior pressão sobre os cuidados intensivos e as enfermarias dos hospitais. Face a esta realidade, os chefes do NHS acreditam que uma saída do Reino Unido do bloco europeu a 31 de janeiro de 2021 seria benéfico para que os serviços de saúde possam sair da “zona de perigo”, o que por sua vez “permitiria ao NHS continuar a trabalhar no combate à pandemia sem ter que lidar com as mudanças perturbadoras causadas por uma saída sem acordo ”.

‘Bazuca’ poderia ter rendido até 50 mil milhões de euros ao Reino Unido, realça comissário europeu

Este pedido foi feito através de uma carta enviada pela confederação de médicos do NHS para o número 10 em Downing Street, esta semana. Na missiva, é reconhecido que o reforço das medidas restritivas contra a propagação do vírus, decretadas durante o fim de semana passado, foram necessárias para evitar uma ruptura dos hospitais e ajudar a proteger o NHS. Além do aumento do número de infetados, a confederação do NHS realça que o período de espera por consultas de pacientes não Covid-19 é agora de um ano e afeta cerca de 16 mil utentes.

“Existem cerca de 19 mil doentes com Covid-19 internados nos hospitais, perto do máximo registado durante o pico da primeira vaga e a esteira está a ganhar velocidade à medida que entramos no período festivo”, lê-se na carta.

Estes representantes-chefe do NHS escrevem ainda que os hospitais públicos não estão a ser capazes de conjugar a pressão da Covid-19 e ainda delinear uma estratégia de adaptação num cenário pós-Brexit, uma vez que, a 1 de janeiro, serão implementadas novas regras e orientações.

“Podem não se lembrar do NHS como um fator na mesa de negociações para o Brexit, mas as ondas de choque que surgirão na sequência de uma saída sem acordo podem levar a capacidade do NHS de funcionar além do limite”, realçam. “Como estamos a poucos dias do precipício, recomendamos que estendam o período de transição por mais um mês, dando ao NHS algumas semanas extras e permitindo que o Reino Unido deixe a UE após um período de transição de um ano”, pedem, por fim.

Esta não é a primeira vez que se pede por um prolongamento do período de transição. Esta semana, o partido nacional da Escócia (SNP- Scottish National Party) e o presidente da Câmara de Londres, Sadiq Khan, querem que o Reino Unido siga as regras comerciais da União Europeia (UE) após 31 de dezembro para que exista mais tempo para se definir um acordo. Para Sadiq Khan a prioridade do primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, devia ser a “luta contra o vírus”.

As negociações entre o Reino Unido e a UE prosseguem, faltando oito dias para que seja possível chegar a um acordo. O Reino Unido tem seguido os regulamentos da UE desde que deixou o bloco a 31 de janeiro, mas sairá do mercado interno e da união aduaneira quando esse período de “transição” terminar, no final do ano.

Recomendadas

António Costa e Boris Johnson preparam acordo político global pós-Brexit

Os primeiros-ministros do Reino Unido e de Portugal preparam-se para fechar na segunda-feira um acordo político global para regular as relações bilaterais luso-britânicas. Entretanto, Rebelo de Sousa comemorará o Dia de Portugal de 2023 na África do Sul.

Brexit: Mais de sete mil empregos no sector financeiro saíram de Londres para o bloco europeu

O Banco de Inglaterra está a analisar a situação para evitar que os bancos em Londres fiquem com poucos quadros.

Antigo responsável da UE diz que Boris Johnson tem de respeitar acordo do Brexit

Declarações surgem depois do primeiro ministro britânico ter pedido a revisão de uma parte do acordo estabelecido entre o Reino Unido e a União Europeia em 2019.
Comentários