“Este incidente é um rombo”. Augusto Santos Silva reage a morte de cidadão ucraniano nas instalações do SEF

Augusto Santos Silva garantiu que “quem olhe para os factos rapidamente verificará que sabemos o que sabemos hoje porque as instituições do Estado funcionaram e as instituições do Estado funcionaram de forma a apurar toda a verdade”.

Cristina Bernardo

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, considerou a morte do ucraniano Ihor Homeniuk nas instalações do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) “um rombo” e destacou que as instituições do Estado “funcionaram de forma a apurar toda a verdade”.

Em entrevista à RTP, Augusto Santos Silva referiu que “evidentemente que este incidente é um rombo”. “Como disse o senhor ministro da Administração Interna, foi um murro no estomago que nós temos de superar sendo infatigáveis e implacáveis no apuramento da verdade”, completou.

Augusto Santos Silva apontou que esta reflexão “não é apenas a minha opinião, quem olhe para os factos rapidamente verificará que nós sabemos o que sabemos hoje porque as instituições do Estado funcionaram e as instituições do Estado funcionaram de forma a apurar toda a verdade”.

O ministro dos Negócios Estrangeiros considerou ainda que será necessário “olhar para a fita do tempo e para os factos permite retirar várias coisas que se diz erradamente sobre apresentações de condolência e etecetera”.

Desde a morte de Ihor Homeniuk o SEF tem estado em destaque. Recentemente, o diretor nacional da PSP propôs a fusão entre a PSP e o SEF criando uma Polícia Nacional. Além da proposta, também a continuação do ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita no cargo tem sido posta em casa.

Quanto a Eduardo Cabrita, a resposta de Marcelo Rebelo de Sousa foi semelhante. “O senhor ministro está em funções e quer manter-se em funções. O senhor primeiro-ministro diz que o ministro lhe dá total confiança. Se tem condições? É uma decisão do primeiro-ministro”, garantiu o Presidente da República esta segunda-feira.

Por sua vez, António Costa sublinhou, esta terça-feira, que “sobre a reforma do sistema policial, esse é um trabalho que será executado. Não estão neste momento decisões finais tomadas. Há uma orientação geral que está definida, que não passa seguramente nem por fusões de polícias, nem por cenários desse tipo”.

Relacionadas

Marcelo sobre Eduardo Cabrita: “Se tem condições? É uma decisão do primeiro-ministro”

“O senhor ministro está em funções e quer manter-se em funções. O senhor primeiro-ministro diz que o ministro lhe dá total confiança. Se tem condições? É uma decisão do primeiro-ministro”, garantiu o Presidente da República.

Eduardo Cabrita afirma que não é “um diretor de Polícia” que anuncia reforma do SEF

O ministro da Administração Interna afirmou hoje à agência Lusa que a projetada reforma no âmbito do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) será anunciada “de forma adequada” pelo Governo “e não por um diretor de Polícia”.

António Costa rejeita fusão entre PSP e Serviço de Estrangeiros e Fronteiras

O diretor nacional da Polícia de Segurança Pública (PSP), Magina da Silva, tinha anunciado a ideia após uma reunião com Marcelo Rebelo de Sousa, mas o primeiro-ministro acabou por recusar esta hipótese.

SEF: Ministro da Administração Interna é hoje ouvido na Assembleia da República

Na semana passada, depois de ser conhecida a decisão de Cristina Gatões, o ministro da Administração Interna considerou que a diretora do SEF “fez bem em entender dever cessar funções”, justificando que não teria condições para liderar o organismo no âmbito do processo de reestruturação que está previsto.
Recomendadas
Carlos Moedas

Moedas diz que classe política “tem que dar o exemplo de devoção pelo bem comum”

O presidente da Câmara de Lisboa considerou hoje que o 1.º de Dezembro ensinou que a “classe política tem que dar o exemplo de devoção pelo bem comum”, não podendo fechar-se “sobre si mesma” ou considerar ser “imune à crítica”.

Costa apela para celebração da “força da bandeira nacional” em mensagem do Dia da Restauração

 O primeiro-ministro António Costa homenageou hoje a “memória dos que lutaram e contribuíram” para a restauração da independência de Portugal, apelando para a celebração da “soberania” e da “força da bandeira nacional”, numa mensagem evocativa do 1.º de dezembro.

Marcelo agradece a ciganos que “deram a vida pela independência” e lamenta discriminação

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lembrou hoje os ciganos que “deram a vida” pela independência nacional e lamentou a discriminação de que têm sido alvo em Portugal.
Comentários